Bolsas asiticas fecham sem direo nica, aps Fed e de olho em EUA-China – Jornal do Comércio

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira (3), repercutindo a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) e de olho em negociações comerciais entre EUA e China.

Como se previa, o Fed manteve sua política inalterada ontem, mas ressaltou que a inflação nos EUA se aproximou mais da meta oficial de 2%, sugerindo que deverá continuar elevando seus juros gradualmente. A expectativa é que o Fed volte a aumentar juros em junho.

Além disso, continuam no radar as desavenças comerciais entre EUA e China. Hoje, uma delegação de autoridades americanas – incluindo Wilbur Ross (Secretário do Comércio) e Steven Mnuchin (Secretário do Tesouro) – chegou à China com a difícil missão de tentar resolver os recentes conflitos comerciais entre Washington e Pequim.

Em tuíte publicado na madrugada desta quinta, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que sua equipe financeira está na China “para negociar condições equitativas no comércio” e ressaltou que seu país “sempre terá um ótimo relacionamento” com os chineses.

Entre os mercados da China, o dia foi de valorização. Apagando perdas de mais cedo, o índice Xangai Composto subiu 0,64%, a 3.100,86 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,01%, a 1.792,89 pontos, ajudados por ações de corretoras e de empresas de bens de consumo.

Em Hong Kong, por outro lado, o Hang Seng caiu 1,34%, a 30.313,37 pontos, ainda que tenha reduzido perdas em meio à recuperação dos negócios na China continental. A Xiaomi, grande fabricante chinês de smartphones, pretende lançar uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações em Hong Kong, no que poderá ser a maior operação do gênero este ano.

No Japão, não houve negócios devido a feriados que manterão a bolsa local fechada entre hoje e amanhã.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano recuou 0,73% em Seul, a 2.487,25 pontos, o menor nível em uma semana, enquanto o Taiex cedeu 0,99% em Taiwan, a 10.514,18 pontos, e o filipino PSEi teve queda mais expressiva em Manila, de 2,60%, a 7.535,10 pontos, atingindo seu menor patamar em um ano.

Na Oceania, a bolsa australiana subiu pelo quinto pregão consecutivo, sustentado por grandes mineradoras e bancos domésticos. O S&P/ASX 200 avançou 0,80% em Sydney, a 6.098,30 pontos. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!