SAPR: Atenção Especial aos Custos (Com Pessoal) – Investing.com

A maravilhosa Sanepar (SA:) (SAPR11), ou shit business, veio com resultados maravilhosos no 1T18.

E, a primeira coisa que olhamos em estatais, custos e despesas operacionais subindo apenas +2,5 por cento. Despesas com pessoal caindo -2,2 por cento.

Quanta alegria. Receita líquida subindo +8 por cento, na comparação com o 1T17, Ebitda +24 por cento e lucros +17 por cento.

Além disso, mais +5 por cento de aumento tarifário aprovado para 17 de maio próximo. Ótimo.

O risco aqui é o grande estado do Paraná eleger um populista que prejudique a companhia. Mas este risco é cada vez menor com Requião concorrendo ao Senado.

E em SAPR acontece algo interessante. As ON simplesmente dispararam e deixaram as outras ações comendo poeira.

Fonte: Bloomberg.

Mas, com Tag Along em todas as classes e com as PN pagando maiores dividendos, não vemos motivos para esta disparada das ordinárias.

Dado o desconto das ações PN (SAPR4) prefira elas as Units (SAPR11) e as ON (SAPR3).

A 6x Ebitda e 7x lucros, SAPR continua resumindo tudo o que procuramos no Investidor de Valor.

CARD: Sai um cliente, entra um cliente

CSU Cardsystem (CARD3 (SA:)) divulgou resultados muito bons no 1T18, se consideramos a perda do contrato com o Banco BMG.

Cartões faturados caindo -29 por cento, na comparação com o 1T17, mas receita líquida caindo -8 por cento, Ebitda – 6 por cento e lucros -3 por cento.

Tudo isso graças a custos operacionais -8 por cento menores que mantiveram as margens. Nada mal.

Para voltarem aos patamares de lucros de outrora, CSU precisa de novos clientes. Segundo o release de resultados, novos contratos estão sendo assinados, mas vamos procurar saber mais.

Resultados piores mas, mais uma vez, nos surpreendeu a capacidade da companhia no controle de custos.

Mesmo assim, as ações caem mais de -12 por cento, com a casa velha recomendando venda. Aproveite, CARD, com 20 por cento de ROE,

Com endividamento zero, ROE de 20%, e um negócio altamente resiliente, CARD é uma enorme barganha a 4x Ebitda e 8x lucros.

GUAR: Lucros em alta, ações em baixa

Guararapes (GUAR3 (SA:)) teve mais um belo trimestre, com vendas mesmas lojas acelerando para saudáveis 12 por cento (foram 8 por cento no 4T17).

Mas os grandes ganhos de resultados parecem ter ficado para trás. Receita continuou subindo +15 por cento, Ebitda +10 por cento e lucros +36 por cento.

Todas as comparações desconsiderando um ganho fiscal, não recorrente, no 1T17.

A companhia vem investindo na venda de telefonia e perfumaria, o que reduz sua margem bruta, mas aumenta os lucros (os produtos tem menor margem mas preço maior).

Com isso, e com maiores promoções, margem bruta caiu 1,3 p.p. Parece que o consumo ainda não está andando como gostaríamos.

E, com isso, a operação financeira (cartões e financiamentos) voltou a ganhar espaço nos resultados – responsáveis por 72 por cento do Ebitda do 1T18, contra 54 por cento no 1T17.

Bancos são bons negócios até mesmo dentro de varejistas.

O preocupante foram os aumentos de despesas com vendas de +12 por cento, administrativas +25 por cento e com inadimplência +22 por cento. Perfumaria e investimentos em ecommerce elevaram as despesas.

No geral, resultados melhores fazem as quedas das ações parecerem demasiadas. A companhia mantém crescimento e margens. A modestos 7x Ebitda e 16x lucros, GUAR continua fazendo a moda do Investidor de Valor.

E, dada a queda mais forte de GUAR4, prefira as preferenciais, que estão com pouco mais de 20 por cento de desconto sobre as ON.

Acompanhe muito mais no Twitter: @BruceBarbosa88, no FB: BruceBarbosaOficial e LinkedIn: BruceBarbosaOficial

Publicação Original SARP, CARD e GUAR

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!