Setor de franquias cresce 5,1% no 1º trimestre, diz ABF – Exame

Segundo a pesquisa trimestral de desempenho, realizada pela entidade, o faturamento passou de R$ 36,9 bilhões para R$ 38,7 bilhões

Por Isadora Duarte, especial para a AE

access_time 10 maio 2018, 16h43

São Paulo – O segmento de franquias brasileiro apresenta uma trajetória de recuperação gradual. A avaliação é da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

No primeiro trimestre deste ano, a receita do setor cresceu 5,1% em relação ao mesmo período de 2017. Segundo a pesquisa trimestral de desempenho, realizada pela entidade, o faturamento passou de R$ 36,9 bilhões para R$ 38,7 bilhões. Se considerado os últimos 12 meses, a alta é de 7%.

Na análise da ABF, o desempenho do setor é positivo, considerando a lenta recuperação da economia brasileira. “O franchising continua a investir na eficiência de suas operações, no desenvolvimento de formatos mais enxutos e na busca de novos mercados, canais de venda e públicos como forma de manter seu desenvolvimento. A inovação, especialmente a incremental, também tem um papel importante e tende a se fazer mais presente nos próximos anos”, avalia Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF em nota.

O estudo também mostra uma variação positiva na abertura e fechamento de lojas no primeiro trimestre de 2018, com aumento de 2,2% na abertura de unidades e 1,2% de alta no fechamento de franquias.

Atualmente, são registradas 144,5 mil unidades de franquias no Brasil. O número de empregos diretos gerados no setor no trimestre apresentou elevação de 0,9%, totalizando 1,1 milhão de trabalhadores.

Entre o setor de franchising, o segmento de Hotelaria e Turismo apresentou maior variação de crescimento, com faturamento maior em 14,9% e 4,9%no número de unidades, na comparação com os meses de janeiro a março de 2017, respectivamente.

Na sequência, os segmentos de Serviços e Outros e Entretenimento e Lazer apresentaram, respectivamente, 9,3% e 7,8% na variação da receita no período pesquisado.

Os pontos de venda, modelos de operação e canais de venda não tradicionais – como instalações em condomínios residenciais e operações delivery,registraram crescimento em relação aos tradicionais. No faturamento total das redes, a participação das lojas franqueadas passou de 71%, em 2017, para 82% em 2018.

Revisão

Com base nos dados do 1º trimestre de 2018, a ABF revisou suas projeções para o ano.

A nova projeção é de crescimento de 7% a 8% no faturamento do setor, 3% em número de unidades, 3% em volume de empregos diretos e estabilidade no número de redes franqueadoras.

“Vamos acompanhar de perto o desenvolvimento dos indicadores macroeconômicos e no campo político, cuja melhora pode abrir caminho para um desenvolvimento mais vigoroso do franchising nacional nos próximos trimestres”, observa Cristofoletti Junior em nota.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!