Ibovespa cai de olho em dólar; Petrobras ajuda na semana – Valor

SÃO PAULO  –  A busca por proteção contra ativos de risco que impulsionou o dólar pesou sobre a bolsa e colocou o Ibovespa no campo negativo hoje. O movimento muito positivo da Petrobras nos últimos pregões, porém, levou o índice a fechar a segunda semana de maio no azul.

Hoje, o Ibovespa encerrou em baixa de 0,75%, aos 85.220 pontos, depois de ceder à mínima nos 85.183 pontos. O giro financeiro foi de R$ 11,1 bilhões. Na semana, porém, o índice acumulou alta de 2,53%.

Vídeo: Veja o resumo dos mercados na semana

O movimento de maior proteção contra o risco no mundo, que levou o dólar a se fortalecer globalmente, afetou ativos considerados mais arriscados, caso do Brasil. Isso justifica a baixa mais forte de ações líquidas, como os bancos, com Itaú Unibanco (-1,60%), Bradesco ON (-2,17%) e Bradesco PN (-1,79%) entre os destaques.

A maior queda do dia ficou concentrada no setor de educação, com Kroton (-15,21%) e Estácio (-9,90%) entre os piores desempenhos do dia. O pessimismo com as empresas foi resultado da divulgação das projeções da Kroton para este ano, com perspectiva de retração em todos os principais indicadores.

Já a Petrobras PN, que vinha em um ritmo positivo hoje depois de quatro pregões positivos, inverteu a tendência e caiu 1,20% pela realização de lucros no papel — na semana, a alta acumulada da ação foi de 14,23%. Já a ON conseguiu se sustentar no campo positivo e subiu 0,38% hoje; na semana, a valorização foi de 21,18%.

Na ponta positiva, o destaque de hoje foram as ações da EDP Energias do Brasil (+15,56%), maior alta do Ibovespa. A ação subiu com forte volume, de R$ 189,6 milhões, ante R$ 50,3 milhões negociados ontem. O motivo da disparada foi a expectativa de que a possível aquisição do controle da portuguesa EDP pela chinesa CTG resulte em uma oferta pelas ações dos minoritários da controladora brasileira, informam as repórteres Graziella Valenti e Camila Maia.

Segundo fontes de mercado, o movimento das ações da EDP também é explicado pelo efeito “short squeeze”, ou seja, quando investidores compram ações no mercado à vista para cobrir posições vendidas a descoberto.

Na sequência, as ações da Natura (+14,65%) e da B2W (+8,06%) reagiram à divulgação dos dados do balanço do primeiro trimestre deste ano. No caso da Natura, houve ainda elevação da recomendação pelo Itaú BBA hoje.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!