Donald Trump acusa China de enganar EUA – Exame

Governo dos EUA exigiu que a China reduza em US$ 200 bi o superávit do país no comércio com os americanos e amplie proteções à propriedade intelectual

Por EFE

access_time 17 maio 2018, 20h43

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira que a China enganou o país e colocou em dúvida um possível acordo comercial bilateral, apesar de uma delegação de representantes do alto escalão do governo de Pequim estarem em Washington para negociar uma solução para a crise.

Perguntado se irá firmar um pacto com a China sobre o comércio antes de uma reunião com o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, Trump expressou desconfiança e fez novos ataques.

“Fomos enganados pela China”, disse o presidente, apontando o déficit comercial de US$ 500 bilhões que os EUA têm com o país.

Enquanto Trump fazia essas declarações, o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, principal assessor econômico do presidente do país, Xi Jinping, está em Washington para reuniões na Casa Branca e no Departamento do Tesouro para solucionar a crise comercial.

Apesar das críticas, Trump voltou a minimizar a possibilidade de uma guerra comercial com a China, repetindo o mesmo argumento.

“Quando você perde US$ 500 bilhões em comércio, não pode perder uma guerra comercial. Você já perdeu”, ressaltou o presidente.

O governo dos EUA exigiu que a China reduza em US$ 200 bilhões o superávit do país no comércio com os americanos e amplie as proteções à propriedade intelectual para diminuir as tensões.

A Casa Branca confirmou que Trump receberá Liu hoje, uma reunião que não estava prevista na agenda do presidente. O enviado chinês também terá reuniões com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, com o secretário de Comércio, Wilbur Ross, e com o representante de Comércio Exterior, Robert Lighthizer.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!