Revista dos EUA Minerou Bitcoin em 2013, Destruiu Chave Privada e Perdeu US$ 100 mil – Portal do Bitcoin

Perder uma fração que seja de Bitcoin pode representar um prejuízo de pelo menos milhares de dólares. Foi o que aconteceu com a WIRED, uma respeitada revista de tecnologia e cultura dos Estados Unidos. E ela própria resolveu partilhar com o público essa experiência.

Por meio de um sistema de mineração, em 2013 a WIRED conseguiu obter 13 Bitcoins, avaliados hoje em mais de US$ 100 mil. No entanto, uma questão ética apareceu para a revista e seus editores: o que fazer com essa pequena fortuna?

“Tivemos uma longa conversa, durante várias semanas, sobre o que fazer com o dinheiro”, recordou Michael Calore, editor sênior da WIRED, que integra a revista desde 2006, na reportagem escrita pela própria publicação. Alguns membros da equipe argumentaram que o Bitcoin deveria ser doado, ou reservado para um propósito de caridade no futuro. Outros disseram que tinha que ser destruído para sempre.

E o que decidiu a WIRED? Que o dinheiro não deveria ficar lá, porque isso poderia influenciar o modo como a revista noticiava sobre as criptomoedas.

“Eu disse que tínhamos que despejá-lo e doar o dinheiro para caridade o mais rápido possível, ou não poderíamos mais cobrir o Bitcoin”, disse à reportagem Adam Rogers, vice-editor da WIRED.

“Trancado em um cofre digital”

Eis que a revista tomou uma decisão radical: decidiu destruir a chave privada, que desbloqueia a carteira do Bitcoin e permite que os fundos sejam gastos a outra, pública, permite o recebimento desse dinheiro. A decisão foi comunicada pela equipe em reportagem publicada em outubro de 2013.

“Estamos destruindo a chave privada usada pela nossa carteira Bitcoin. Isso deixa a nossa crescente pilha de lucro do Bitcoin trancada em um cofre digital por toda a eternidade ou pelo menos até alguém quebrar a criptografia SHA-256 que a protege”.

Quem quiser dar uma olhadinha em como andam os milhares de dólares perdidos pela WIRED basta acessar a chave pública neste link.

Outros Bitcoins perdidos

Apesar do dilema ético da WIRED, a revista não está sozinha no quesito “jogar Bitcoins no lixo”. Esquecer sua chave privada, simples descuidos com o computador ou falhas em hardwares e softwares podem levar à perda de fortunas na criptomoeda. Um exemplo que mostra que Bitcoin “não é para corações fracos”.

Além de rir de si própria, a WIRED lembrou de casos famosos de Bitcoins perdidos. Um deles é do programador de TI galês James Howells, um dos primeiros mineradores de Bitcoins. Ele perdeu nada menos que 7.500 Bitcoins (algo em torno de US$ 56 milhões) quando jogou fora por engano o disco rígido de seu antigo notebook, em 2013.

“Eu não estou sentado aqui chorando sobre isso, acidentes acontecem”, disse ele ao jornal britânico The Telegraph. No entanto, ele alimenta o sonho de ainda conseguir recuperar o disco rígido do aterro sanitário onde a pequena fortuna está enterrada, no País de Gales.

Outro caso famoso é o do empreendedor Elon Musk, fundador da Tesla, admitido por ele próprio no Twitter, em novembro de 2017. “Não é verdade. Um amigo me enviou parte de um BTC há alguns anos, mas não sei onde está”.

A Chainalysis, uma empresa de pesquisa que analisa a atividade em diferentes mercados de criptomoeda, estima que entre 2,78 e 3,79 milhões, ou entre 17 e 23% de todos os Bitcoins, foram perdidos. Nessa conta entram os cerca de 1 milhão de Bitcoins atribuídos a Satoshi Nakamoto, o misterioso fundador da criptomoeda. Não há registro de movimentação dessa fortuna desde 2011.

Leia também: Bitcoin Fecha Mês de Maio com Quase 20% de Queda

 

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. A BitcoinTrade é a plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é a única com a certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/

O post Revista dos EUA Minerou Bitcoin em 2013, Destruiu Chave Privada e Perdeu US$ 100 mil apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!