Alta Generalizada e Queda do Dólar; Semana Conta com Reunião do G-7 – Investing.com

Após o surpreendente aumento de 223.000 empregos em maio, sugerindo ainda um sólido ritmo no mercado de trabalho americano, os mercados globais iniciam a semana com uma alta generalizada. Os títulos de 2 e 10 anos da Itália caíram bem abaixo do nível visto na semana passada, aumentando o apetite ao risco na Zona do Euro. No câmbio, o sentimento em relação é de recuperação; enquanto o índice para o registra uma queda de quase 0,5%. O impacto da desvalorização no dólar deve ser bem recebido nos mercados emergentes, bem como a queda nos preços do — ainda pressionado pelo aumento esperado da oferta de petróleo no segundo semestre deste ano. Os índices futuros dos EUA sinalizam alta de aproximadamente 0,5%, assim como o Eurostoxx 600. Na Ásia, o principal índice composto encerrou com alta de 1,5%.

Nesta semana, retornarão as discussões a respeito das relações comerciais entre Estados Unidos e seus principais parceiros. Como principal evento, podemos esperar a reunião do G-7 em Quebec. Trump estará presente, e deve chamar a atenção dos mercados em um momento em que a União Europeia e o Canadá ameaçam retaliação em resposta aos tributos sobre importação de aço e alumínio.

Nos indicadores econômicos do dia, o índice de preços ao produtor permaneceu inalterado na Zona do Euro em sua taxa mensal. Nos EUA, pedidos de bens duráveis e encomendas à indústria serão divulgados às 11h. À noite, PMI industrial em Hong Kong e PMI de serviços na China darão tom ao início dos negócios asiáticos.

Brasil

O mercado local, assim como a maioria dos mercados emergentes, goza da queda do dólar. O Banco Central continua a realizar seus leilões de swap cambial, e operações de rolagem. O dólar registra queda de 0,65%, cotado a R$ 3,738. No relatório Focus, houve um ajuste nas expectativas dos analistas em relação aos principais indicadores de mercado. Como tem sido ocorrente, houve um crescimento na projeção de inflação e dólar, e queda na projeção para o crescimento do PIB.

Na agenda de hoje, o IPC-S, divulgado pela FGV, apresentou variação de 0,41%. O indicador acumula alta de 1,79% no ano, e 2,87% em 12 meses. Contribuiu fortemente para a alta do índice, o aumento nos preços da gasolina e da tarifa de eletricidade residencial. Nas classes de despesa, Habitação, Saúde e cuidados pessoais e transportes tiveram o maior impacto.

Agenda do dia

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!