Bolsas de NY voltam a subir e Nasdaq anota nova máxima – Valor

SÃO PAULO  –  Em Nova York, os mercados voltaram a responder de maneira positiva aos bons resultados do mercado de trabalho americano divulgados na sexta-feira (1º de junho), apontando um crescimento robusto no segundo trimestre.

O índice Nasdaq fechou em alta de 0,69%, a 7.606,45 pontos, anotando nova máxima histórica pela primeira vez desde o dia 12 de março, quando fechou em 7.588,32 pontos. Os ganhos desta segunda-feira (4) marcam uma reviravolta dramática depois da onda de vendas que derrubou as ações em Nova York nos meses de fevereiro e março, com o Nasdaq despencando após o escândalo de invasão de privacidade envolvendo o Facebook.

Os outros índices de Nova York também subiram nesta segunda-feira, com o Dow Jones fechando em alta de 0,72%, a 24.813,69 pontos, e o S&P 500 subindo 0,45%, a 2.746,87 pontos.

Na sexta-feira passada, o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos reportou que a taxa de desemprego caiu de 3,9% em abril para 3,8% em maio, atingindo o seu menor nível em 18 anos. No mês, foram criadas 223 mil vagas de trabalho, acima da expectativa de consenso, de 190 mil para maio.

Os mercados têm, ao longo deste ano, respondido com receio aos dados econômicos positivos nos EUA, com os investidores temendo um aumento da perspectiva de uma aceleração das elevações dos juros do Federal Reserve neste ano. No entanto, os mercados deram, desta vez, mais peso ao cenário econômico positivo do que à política monetária do Fed.

Petróleo

O petróleo fechou em nova queda acentuada, com os investidores preocupados com uma possível ampliação da oferta pela Opep e outros parceiros como a Rússia, bem como com a ampliação da produção americana. O Brent para agosto fechou em baixa de 2%, a US$ 75,29 por barril, e o WTI para julho cedeu 1,6%, a US$ 64,75 o barril.

Na renda fixa, os rendimentos (“yields”) dos títulos do Tesouro americano  avançaram com o crescimento das apostas por mais altas de juros pelo Fed neste ano. Segundo a ferramenta FedWatch, do CME Group, a probablidade implicíta de haver quatro apertos monetários em 2018 voltou à casa dos 40%. O yield da T-note de 10 anos fechou em alta a 2,94%, enquanto o rendimento de dois anos avançou para 2,52% e, o de 30 anos, subiu a 3,08%.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!