Boi: Comercialização é Retomada aos Poucos no BR; Exportações Reagem – Investing.com

A comercialização de animais para abate tem sido retomada aos poucos, conforme a necessidade de compra da indústria, segundo colaboradores do Cepea. Os embarques programados inicialmente para o final de maio estão ocorrendo neste início de junho, exercendo alguma pressão sobre as cotações da arroba. De 30 de maio a 6 de junho, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do caiu 3,3%, a R$ 137,35 nessa quarta-feira, 6. Depois de registrarem em abril o pior desempenho mensal desde abril de 2012, os embarques brasileiros de carne bovina in natura voltaram a se recuperar em maio. No mês, foram embarcadas 90,5 mil toneladas do produto, volume 29,2% superior ao de abril/18 e 0,11% acima do de maio/17, segundo dados da Secex. Essa reação foi observada mesmo com a paralisação dos caminhoneiros na segunda quinzena, que impediu o escoamento da proteína aos portos.

SUÍNOS: COTAÇÕES SOBEM NO MERCADO INTERNO, MAS EMBARQUES SEGUEM BAIXOS

Com o fim da paralisação dos caminhoneiros, as entregas de suíno vivo e ração têm voltado ao normal. Segundo colaboradores do Cepea, frigoríficos demonstram maior necessidade por novos lotes de animais para abate neste início de mês, devido ao desabastecimento de varejistas e distribuidoras nas últimas semanas e à demanda mais aquecida no atacado. Muitas processadoras, inclusive, operam perto da capacidade máxima de abate e pagam preços maiores por novos lotes. Nesse cenário, os preços do suíno vivo e da carne estão em alta no mercado interno. Já quanto às exportações, ainda que tenham aumentado de abril para maio, se mantêm em volumes aquém do esperado pelo setor.

BANANA: EXPORTAÇÕES DE BANANA PARA A ARGENTINA DIMINUEM

As exportações de banana para a Argentina, um dos principais importadores da fruta brasileira, diminuiu nos últimos anos, influenciando negativamente os resultados dos embarques domésticos. Conforme dados da Secex, os envios brasileiros para o país vizinho recuaram 51% na última década. Segundo pesquisadores do Hortifruti/Cepea, esse cenário pode estar atrelado ao aumento das exportações da banana paraguaia ao mercado sul-americano – o governo do país vem investindo na bananicultura, com o objetivo de exportar frutas com qualidade, fato que elevou a demanda de outros países do continente pelo produto, animando alguns produtores paraguaios quanto aos investimentos em área. Assim, considerando as exportações de banana para a Argentina, o Paraguai tem sido um grande concorrente do Equador, o principal fornecedor da fruta ao país.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!