CNA protocola ofício a Temer pedindo suspensão de tabela de frete – Exame

Na justificativa, a entidade cita a alta de 51% a 152% no valor do transporte do setor após a publicação da tabela, no último dia 30

Por Gustavo Porto, enviado especial do Estadão Conteúdo

access_time 7 jun 2018, 18h42

Brasília – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) protocolou nesta quinta-feira, 7, ofício ao presidente da República, Michel Temer, no qual pede a suspensão da tabela de preços mínimos de fretes rodoviários.

Na justificativa, a entidade cita a alta de 51% a 152% no valor do transporte do setor após a publicação da tabela, no último dia 30, para encerrar a paralisação de caminhoneiros no País.

Entre os dados já divulgados pela entidade, a CNA cita no ofício o transporte de soja com caminhão de Sorriso (MT) até o Porto de Santos (SP), uma distância de 2.064 quilômetros.

O valor no trecho aumentou de R$ 290 por tonelada para R$ 437,55 por tonelada, ou 51%, com a aplicação na tabela. Esse valor inclui o frete de retorno, ou seja, com o caminhão voltando com outra carga do porto para o interior do País. Caso o caminhão volte vazio, a alta é de 120%, segundo a CNA, com o frete em R$ 748 a tonelada.

“Ressalte-se que os dispositivos que regulam a tabela não consideram a interação entre todos os atores que compõem o sistema de transporte rodoviário. Os usuários dos transportes rodoviários de carga não foram consultados no processo de elaboração da referida tabela”, informa a CNA. “Além do aumento excessivo do frete, os usuários também estão sujeitos a indenizar, em dobro, os transportadores pelo não cumprimento da tabela e a pagar os custos de retorno do caminhão ao ponto de origem, caso esteja vazio”, completa.

No documento, assinado pelo presidente da CNA, João Martins, a entidade informa estar à disposição “para discutir o tema e auxiliar na busca de soluções que aperfeiçoem a logística brasileira, garantindo a remuneração adequada aos prestadores de transporte rodoviário de carga, sem onerar o produtor e a sociedade brasileira”, conclui.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!