O G7, uma reunião informal de grandes potências – Isto É

O G7, cuja cúpula se celebra nesta sexta-feira e sábado no Canadá sob um clima de tensão, é um grupo informal de grandes potências criado em 1975 para discutir temas econômicos.

Em suas origens, foi um foro para que as principais democracias industrializadas discutissem sobre a economia global, mas a agenda se ampliou para temas como paz, meio ambiente e combate ao terrorismo.

A primeira reunião do grupo ocorreu em Rambouillet, na França, em 1975, após a primeira crise do petróleo.

Em Rambouillet, seis países – França, Reino Unido, Alemanha, Itália, Japão e Estados Unidos participaram deste G6, grupo ao qual se uniu o Canadá em 1976, dando lugar ao G7 atual.

A iniciativa nasceu do presidente francês, Valéry Giscard d’Estaing, que propôs entregar aos líderes dos países os temas abordados habitualmente por seus ministros da Fazenda.

Na década de 80, o agravamento das relações entre Leste e Oeste deu um tom mais político às reuniões.

Na cúpula de Williamsburg (1983), por exemplo, se adotou uma declaração sobre a segurança na Europa, em apoio à política do presidente americano, Ronald Reagan, em relação à Moscou, apesar das reservas do presidente francês, o socialista François Mitterrand.

O colapso da União Soviética, no final de 1991, mudou completamente o panorama, e a Rússia participou como convidada em 1992. A partir de 1998, esteve em todas as reuniões do rebatizado G8.

A partir de 1999, em um período de sucessivas crises financeiras, o G8 passa a ser questionado como um “clube de ricos”.

Então, as grandes potências decidem se reunir com os países emergentes sob um novo formato, o G20, com o objetivo de tentar resolver ou evitar as crises financeiras.

Em 2001, a cúpula de Genova foi marcada por violentas manifestações de militantes contra a globalização, que deixaram um morto e vários feridos.

Os manifestantes questionavam a utilidade e a legitimidade do G8 e exigiam a anulação da dívida dos países pobres.

As cúpulas que se seguiram também enfrentaram manifestações e foram realizadas sob estritas medidas de segurança.

Em 2014, a Rússia de Vladimir Putin foi suspensa do G8 por ter anexado a península ucraniana da Crimeia.

Em 2017, a unidade do G7 foi quebrada pelas divergências em torno da questão do clima, na primeira cúpula com a participação de Donald Trump, na Sicília. Pouco depois, o presidente americano anunciou sua retirada do Acordo de Paris.

O post O G7, uma reunião informal de grandes potências apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!