Cadeia humana maciça pelo direito de autodeterminação no País Basco – Isto É

Convocadas por uma plataforma separatista, milhares de pessoas formaram, neste domingo (10), uma cadeia humana entre várias cidades do País Basco para reivindicar o direito à autodeterminação da região do norte da Espanha.

Balançando a bandeira vermelha, verde e branca do País Basco, os manifestantes formaram uma cadeia que, segundo os organizadores da plataforma Gure Esku Dago (“Está em nossas mãos”), uniu 202 quilômetros entre San Sebastián e Vitoria, passando por Bilbao.

A plataforma afirmou que 175 mil pessoas participaram, mobilizadas graças a 5 mil voluntários e mil ônibus para transportar os participantes. As autoridades bascas não deram cifras.

Apoiado por partidos nacionalistas e separatistas, assim como por sindicatos, o protesto passou por ruas de cidades e várias estradas, segundo observou um fotógrafo da AFP e imagens mostradas na mídia basca.

“Demonstramos que queremos decidir o futuro político deste país, que temos a necessidade de decidir e que temos milhares de razões que nos afetam em nosso dia a dia”, afirmou Ángel Oiarbide, porta-voz da plataforma, que leu um manifesto em Vitoria, capital do País Basco.

O protesto “mostra que estamos diante de um povo ativo e vivo que quer decidir democraticamente”, afirmou à imprensa a presidente do Parlamento basco, Bakartxo Tejería, do Partido Nacionalista Basco (PNV), que governa a região.

A presença de membros do PNV foi criticada por outras formações, que acusam este partido de “avivar a ruptura social em Euskadi (País Basco)”.

A Gure Esku Dago já realizou anteriormente outras cadeias humanas no País Basco para pedir um referendo de independência em 2014 e 2015.

O post Cadeia humana maciça pelo direito de autodeterminação no País Basco apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!