Banco Central Europeu e Moedas – Investing.com

Após a decisão de política monetária do Federal Reserve, hoje foi a vez do Banco Central Europeu (BCE) de tomar as atenções do mercado. O mercado de câmbio reage de forma intensa, com uma firme alta do — índice para o dólar registra alta de 0,5% — e alta generalizada nos principais índices acionários no ocidente. No oriente, no entanto, as bolsas encerraram em queda, pressionadas pelo aumento da taxa de juros americana e pela decepção em relação aos dados macroeconômicos da China.

O euro renovou suas mínimas após a confirmação de uma taxa de juros inalterada pelo BCE e a continuação do programa de compras em 30 bilhões de euros por mês até setembro (entre outubro e dezembro, haverá uma redução para 15 bilhões de euros por mês).

A coletiva de imprensa do BCE falhou em alimentar as expectativas mais otimistas dos agentes econômicos, e o dólar continua a mostrar força, a respaldo de um aumento no fed funds rate. A sinalização do encerramento do programa de compras (nomeado Quantitative Easing), parece já ter sido precificada pelo mercado. Ainda na coletiva do BCE, o presidente Mario Draghi disse que o comitê já não vê riscos de deflação na Zona do Euro, e ponderou que há a necessidade de monitoramento devido aos riscos de persistente volatilidade nos mercados financeiros.

Na agenda de indicadores econômicos dos EUA, as vendas no varejo e os pedidos iniciais por seguro desemprego apresentaram bons resultados. As vendas no varejo registraram alta de 0,8%, maior alta mensal desde setembro de 2017. Já desconsiderando a forte alta em setembro (que foi liderada pelos desastres naturais naquele período), a alta de maio foi a maior desde janeiro de 2017. Nas commodities, o WTI registra alta de 0,5% e o em Qingdao registrou alta de 2,19% nos negócios à vista. Sem mais notícias relevantes para o restante do dia, o noticiário corporativo local deve ser mais relevante, enquanto os investidores digerem as novas informações acerca da política monetária na Zona do Euro e nos EUA. Ademais, hoje teremos o início da Copa do Mundo, se é que há alguma relevância no volume de negócios globais (há alguns estudos indicando que sim).Brasil

No mercado local, o iniciou o dia em queda, sem um viés nos negócios, mas pressionado pelo desempenho dos ativos do setor financeiro e de materiais básicos. O dólar tem uma leve queda, contrariando a tendência global do dólar com os swaps do Bacen. No mercado de juros, a tendência é de alta.

Agenda do dia

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!