Delator diz que membros do TCE tinham propina desde governo Garotinho – Isto É

O ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Jonas Lopes, disse que conselheiros da corte já recebiam propina durante o mandato do ex-governador Anthony Garotinho (PRP). A declaração ocorreu em depoimento prestado hoje (14) ao juiz federal Marcelo Bretas. Lopes e seu filho Jonas Lopes Neto, também envolvido no esquema de cobranças ilícitas, firmaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF).

Jonas Lopes contou que, na época, era secretário da Casa Civil do governo e foi responsável por fazer pagamentos para que o TCE-RJ tivesse “boa vontade” em processos que envolviam o Poder Executivo. “A mesada era de R$ 50 mil. Entregava R$ 300 mil porque um dos conselheiros não participava”, disse.

Não fica claro no depoimento se Garotinho tinha conhecimento do pagamento. Em nota, o advogado do ex-governador, Carlos Azeredo, afirma que seu cliente nunca soube e jamais permitiria fatos dessa natureza. “Se houve alguma atitude errada por parte do Sr. Jonas Lopes, isto não contou com aquiescência do ex-governador”, registra o texto.

Em 2000, ainda no governo Garotinho, Jonas Lopes se tornou conselheiro do TCE-RJ e passou a ser um dos beneficiários das propinas. Já no mandato do governador Sérgio Cabral (MDB), assumiu a presidência da corte. No ano passado, a operação O Quinto do Ouro, um dos desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro, revelou esquema de recebimento de pagamentos ilegais que ele liderava.

Segundo o MPF, empresas da construção civil pagaram propina para que houvesse “vista grossa” sobre o sobrepreço de obras. Para beneficiar empresários de transporte, foram ignoradas fraudes no sistema de Bilhete Único. Em um outro depoimento prestado anteriormente, Jonas Lopes havia dito que o presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani, era o elo com empresários de transporte.

Cinco conselheiros do TCE chegaram a ser presos em março do ano passado. As prisões foram revogadas, mas eles permaneceram afastados do cargo.

Em setembro do ano passado, Jonas Lopes solicitou aposentadoria. O juiz do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Antônio Klausner, chegou a suspender a concessão do benefício. A liminar, no entanto, foi derrubada pelo desembargador Milton Fernandes de Souza, e a aposentadoria, com salário integral no valor de R$ 30,4 mil, vem sendo paga mensalmente.

Hoje foram realizadas mais sete oitivas. Além de Jonas Lopes, foram ouvidos executivos das empreiteiras Carioca Engenharia, Andrade Gutierrez e Odebrecht. Todos têm acordos de delação premiada. Os depoimentos ocorreram no processo com cinco réus, entre eles Jonas Lopes e Jonas Lopes Neto. Os outros três são Álvaro Novis, Jorge Luiz Mendes Pereira da Silva e Edimar Moreira Dantas, apontados como operadores do esquema.

O post Delator diz que membros do TCE tinham propina desde governo Garotinho apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!