Dólar sobe 0,82% e vai a R$ 3,9094, maior cotação desde 7 de junho – Isto É

Em dia de agenda esvaziada no Brasil e de menor liquidez, o dólar acompanhou a alta generalizada da moeda dos Estados Unidos na economia mundial e fechou em alta de 0,82%, a R$ 3,9094. É a maior cotação desde 7 de junho (R$ 3,9146). A segunda-feira não teve atuação extra do Banco Central no mercado de câmbio, marcando a sexta sessão consecutiva sem leilões de novos contratos de swap (venda de dólar no mercado futuro). O pano de fundo da subida do dólar hoje foi novamente o temor de piora da situação comercial de Washington com seus principais parceiros, sobretudo a China e a União Europeia, com Donald Trump ameaçando sobretaxar os veículos europeus.

Sem se comprometer com valores, o BC prometeu na sexta-feira atuar sempre que necessário no mercado de câmbio, com leilões de linha (venda de dólar à vista com compromisso de recompra) ou swap. Mas hoje optou por não atuar. O último leilão de swap extraordinário que o BC fez foi na sexta-feira, dia 22, quando ofertou US$ 1 bilhão. Já a quarta-feira, dia 27, foi a última sessão com atuação discricionária, quando a instituição fez dois leilões de linha, que somaram US$ 2,4 bilhões.

Nesta segunda-feira, 2, o BC fez apenas leilão de rolagem para os contratos de swap que vencem em 1º de agosto, em operação que movimentou US$ 700 milhões, mas não chegou a influenciar as cotações do dólar. O dólar operou em alta desde a abertura, mas sempre acompanhando o movimento externo. Na máxima, chegou a encostar em R$ 3,92 no início da tarde.

“O dólar subiu ante todos os parceiros comerciais com preocupações de escalada adicional de medidas de protecionismo comercial”, afirma o diretor da BK Asset Management em Nova York, Boris Schlossberg. Durante o final de semana, a imprensa dos EUA noticiou que o país poderia sair da Organização Mundial do Comércio (OMC), mas hoje Donald Trump negou a intenção e disse que a Casa Branca está próxima de anunciar acordos comerciais “justos”. Esta última declaração ajudou a tranquilizar as bolsas em Wall Street. “Uma saída da OMC removeria qualquer barreira para Trump adotar políticas protecionistas”, destaca Schlossberg.

Por causa do jogo entre Brasil e México hoje, o volume de negócios foi menor. No mercado futuro, às 17h25, o volume somava US$ 12,4 bilhões. No mesmo horário, o dólar para agosto subia 0,78%, a R$ 3,9200. No mercado à vista, o giro somou US$ 1,1 bilhão.

O post Dólar sobe 0,82% e vai a R$ 3,9094, maior cotação desde 7 de junho apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!