Soja: Preços Sobem no Mercado Interno, Apesar de Queda Extera – Investing.com

Mesmo com as contínuas baixas internacionais, a valorização do , a alta do prêmio de exportação e a menor disponibilidade interna elevaram as cotações da na última semana de junho no Brasil. Entre 22 e 29 de junho, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) avançou 2,17%, a R$ 86,54/saca de 60 kg nessa sexta-feira, 29. No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 2,76%, a R$ 80,41/sc de 60 kg. Quanto à comercialização da safra 2017/18, dados do Deral/Seab indicam que 61% da temporada do Paraná já foi negociada, ante 44% há um ano. Em Mato Grosso, o Imea mostra que 85,6% da safra foi vendida até o início do mês, acima dos 78,46% em igual período no ano passado.

MILHO: INDICADOR RECUA QUASE 19% EM JUNHO

Dados do Cepea indicam que as cotações do fecharam junho com forte queda. No acumulado do mês (de 30 de maio a 29 de junho), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) registrou baixa de 18,73%, fechando a R$ 36,97/sc de 60 kg na sexta-feira, 29. Entre 22 e 29 de junho, o decréscimo foi de 2,43%. A proximidade da entrada do milho de segunda safra tem afastado compradores, que estão à espera de melhores oportunidades para efetivar negócios. Quanto ao vendedor, alguns agentes indicam necessidade de liberar espaço nos armazéns. No entanto, indefinições com os preços mínimos de fretes seguem limitando novos negócios. Diante disso, o ritmo de fechamentos está lento tanto no spot quanto para exportação.

MANDIOCA: OFERTA CAI E VOLTA A IMPULSIONAR PREÇOS

Em praticamente todo o primeiro semestre de 2018, os preços da mandioca se mantiveram em baixos patamares, conforme dados do Cepea, cenário que diminuiu a rentabilidade de produtores. Porém, em junho, quase todas as raízes ofertadas são de 1º ciclo, com produtividade não muito satisfatória, segundo mandiocultores. Desta maneira, muitos produtores passaram a optar pela poda, enquanto outros continuaram priorizando as atividades de plantio, diminuindo a oferta às indústrias de fécula e de farinha, que registraram ligeiro aumento na demanda industrial nas duas últimas semanas de junho. Neste cenário, pesquisas do Cepea mostram que os preços da mandioca subiram entre 25 e 29 de junho. A média a prazo para tonelada de posta fecularia foi de R$ 395,51 (R$ 0,6878 por grama de amido na balança hidrostática de 5 kg), alta de 2,8% frente à anterior.

MELÃO: JUNHO FECHA COM PREÇOS EM QUEDA

Na última semana de junho (de 25 a 29), as cotações do melão recuaram, conforme dados do Hortifruti/Cepea. Além das baixas observadas nos centros atacadistas, preços inferiores também foram registrados nas regiões produtoras. O melão amarelo tipo 6 e 7 foi comercializado na média de R$ 25,17/cx de 13 kg no Vale do São Francisco (PE/BA), 12% inferior à do período anterior. As vendas restritas, devido ao período de fim de mês, ao clima ameno e aos jogos da Copa do Mundo, pressionaram as cotações, visto que os estoques da fruta aumentaram nos boxes atacadistas.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!