Canadá pressiona EUA para retomada da renegociação do Nafta – Exame

País se esforça para retomar as negociações, que estão paralisadas, no momento em que Andrés Manuel López Obrador foi eleito o próximo presidente do México

Por Estadão Conteúdo

access_time 3 jul 2018, 20h10 – Publicado em 3 jul 2018, 20h06

Ottawa – Passada a eleição presidencial no México, o Canadá aumentou a pressão para acelerar a renegociação do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês).

A ministra de Relações Exteriores canadense, Chrystia Freeland, disse nesta terça-feira que conversou com o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, seis vezes na semana passada e que deseja que as negociações do Nafta acelerem ainda mais durante o verão no Hemisfério Norte.

O presidente dos EUA, Donald Trump, parece não ter pressa de assinar um novo acordo do Nafta. Em entrevista à rede de TV americana Fox news no último domingo, ele afirmou que estava resistindo até depois das eleições de meio de mandato para conseguir um acordo melhor para os EUA.

O Canadá se esforça para retomar as negociações, que estão paralisadas, no momento em que Andrés Manuel López Obrador foi eleito o próximo presidente do México. Ele disse que apoia a continuidade da renegociação do Nafta e que quer sua própria equipe de especialistas participando das conversas.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, conversou com López Obrador por telefone. Os dois discutiram “relações econômicas e comerciais mutuamente benéficas entre os dois países”, disse o escritório de Trudeau em um comunicado.

Os pedidos canadenses para as negociações também ocorre no momento em que Ottawa impôs tarifas sobre produtos americanos após Washington implementar barreiras sobre o aço e o alumínio canadenses.

Trump reclamou publicamente sobre as barreiras comerciais de gerenciamento de suprimentos do Canadá, particularmente em laticínios, aves e ovos. Na segunda-feira, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, disse que o Canadá “tirou proveito” do agronegócio dos EUA.

A associação de produtores de laticínios de Quebec discordou e disse que a superprodução americana é o verdadeiro problema dos EUA com as tarifas canadenses. Para a associação, eliminar gradualmente as tarifas de laticínios canadenses “destruiria a produção de laticínios do Canadá sem realmente resolver os problemas de produção dos EUA”. Fonte: Associated Press.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!