Ibovespa tem leve queda, puxado por Petrobras; ata do Fed pouco afeta – Valor

SÃO PAULO  –  A divulgação da ata da reunião do Federal Reserve (Fed), às 15h, não trouxe grande instabilidade ao Ibovespa, que continuou mostrando leve tendência de queda. As ações da Petrobras apresentam desempenho negativo, mas a alta de quase 3% dos papéis da Vale ajuda a compensar esse movimento.

Por volta de 15h50, o Ibovespa recuava 0,22%, aos 74.577 pontos, após atingir os 73.756 pontos na mínima do dia (-1,32%). O giro financeiro do índice soma pouco menos de R$ 6 bilhões até o momento.

Para Vitor Suzaki, analista da Lerosa Investimentos, a ata do Fed não trouxe grandes novidades e reforçou a ideia de que a autoridade monetária americana está preocupada com a evolução do cenário macroeconômico e com os eventuais impactos das tensões comerciais no mundo à economia local.

Petrobras PN (-2,28%) e Petrobras ON (-2,7%) permanecem no campo negativo e aparecem entre os principais fatores de pressão ao Ibovespa — as ações preferenciais têm o maior giro financeiro do dia, com R$ 1,2 bilhão. Suzaki destaca que os investidores optam por realizar lucros após as altas dos últimos dias, mas ressalta que a questão da cessão onerosa ainda tem etapas a serem percorridas.

“A bola está com o Senado agora. Tivemos um otimismo mais forte nos últimos dias, mas agora o tema precisa ser colocado em pauta antes do recesso”, diz. Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que altera o contrato de exploração da cessão onerosa entre a União e a Petrobras, enviando o texto para discussão no Senado.

Comportamento semelhante é verificado em Eletrobras ON (-5,82%) e Eletrobras PNB (-4%) — a Câmara aprovou ontem o texto-base do projeto que autoriza a venda de seis distribuidoras da empresa, mas os destaques do projeto ainda devem ser apreciados.

Os bancos, por sua vez, operam em leve queda, com destaque para Itaú Unibanco PN (-0,14%) e Bradesco PN (-0,21%) — Banco do Brasil ON (-1,15%) destoa e recua com mais intensidade. O mau desempenho das blue chips, contudo, é parcialmente neutralizado pela alta de Vale ON (+2,81%), que se ajusta após as quedas recentes.

Na ponta negativa, Embraer ON (-13,9%) segue despencando e com volume financeiro expressivo, de R$ 437 milhões. A avaliação dada ao segmento de aviação comercial da companhia brasileira, de US$ 4,75 bilhões, o real valor das divisões de aviação executiva e defesa — que efetivamente permanecerão sob controle da Embraer — e o potencial de sinergias que a operação poderá desencadear aparecem como alguns dos pontos que ainda geram dúvidas nos investidores.

No lado positivo, destaque para Gerdau PN (+4,46%) — em relatório, o Itaú BBA diz que o bom momento nos EUA e o efeito não tão erosivo da greve dos caminhoneiros provavelmente fará com que a empresa apresente resultados fortes no segundo trimestre.

O banco ainda reafirma sua preferência pela companhia dentro do setor. Enquanto os papéis preferenciais da Gerdau sobem forte, CSN ON (-2,12%) e Usiminas PNA (-1%) operam no campo negativo.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!