Mineradora de Bitcoin: Após 2ª Fase de Financiamentos, Bitmain é Avaliada em US$ 12 Bilhões – Portal do Bitcoin

Um ano após a primeira rodada de financiamento, a Bitmain, a maior potência na mineração do Bitcoin, completou sua segunda (e provavelmente a última) fase de oferta.

Com o novo financiamento, que foi entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões, a empresa foi avaliada em aproximadamente US$ 12 bilhões, segundo relatou os site Caixin nesta sexta-feira (06) que citou fontes anônimas.

De acordo com a descrição, os principais investidores da nova série de investimentos incluem a Sequoia Capital China, a americana Coatue Management e EDBI, um fundo Cingapura.

Há quase um ano a Bitmain recebia US$ 50 milhões de investimentos na sua primeira licitação. Na ocasião, destacaram-se a IDG Capital (EUA) e, novamente, a Sequoia Capital China.

O relatório da Caixin também indicou que a Bitmain está atualmente realizando uma rodada de financiamento pré-IPO (Oferta Pública Inicial), o que pode encaminhá-la a uma abertura do seu capital na Bolsa de Valores de Hong Kong no futuro, opinou a Coindesk.

Se isso acontecer a empresa será outra gigante chinesa de mineração de Bitcoin a se relacionar com a Bolsa, como aconteceu com Canaan Creative (maior concorrente da Bitmain) e a Ebang Communication.

A Bitmain ainda não se pronunciou sobre o assunto.

IPO já era prevista

Conforme publicou o Portal do Bitcoin em 10 de junho, uma IPO já tinha sido anunciada pelo cofundador da Bitmain, Jihan Wu. A abertura de capital na bolsa de valores possibilitaria um acompanhamento mais preciso em tempo real sobre o valor da Bitmain, avaliada na ocasião em US$ 8,8 bilhões.

Abrir o capital para buscar investimentos ainda não é uma estratégia comum para empresas que fabricam máquinas para mineração de criptomoedas, mas a moda pegou e as empreitadas provavelmente vão continuar.

Próxima dos 51%

A Bitmain está próxima de controlar 51% do poder de processamento da rede bitcoin. Este número é frequentemente associado à perda de descentralização da rede.

Com esse percentual, a empresa poderia comprometer mais da metade da rede ao censurar transações ou a realizar gastos duplos.

Os ataques desse tipo, chamados de ‘51%’ ou ‘Gasto Duplo’, começaram a se tornar mais frequentes em redes de blockchain, especialmente nas usadas para validar transferências de criptomoedas pequenas.

Em meados de maio, o Bitcoin Gold (BTG) sofreu ataques que levaram à perda do equivalente a US$ 18 milhões. Operadores de Verge e Monacoin também foram roubados.

A ZenCash (ZEN) foi a mais recente altcoin a sucumbir a um ataque de 51%, no mês passado, quando um minerador mal-intencionado executou um ataque, com sucesso, de pelo menos três gastos duplos.

Quanto custa atacar o Bitcoin e outras criptomoedas?

O Portal do Bitcoin divulgou uma tabela que lista o custo necessário para realizar 1 hora de ataque em diversas criptomoedas.

Para realizar uma hora de ataque na rede do Bitcoin, por exemplo, seria necessário US$ 698 mil, enquanto no Bytecoin, apenas US$ 850.

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

O post Mineradora de Bitcoin: Após 2ª Fase de Financiamentos, Bitmain é Avaliada em US$ 12 Bilhões apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!