Soltura de Lula é pouco provável, mas pode elevar percepção de risco – Valor

SÃO PAULO  –  Uma eventual soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão, mesmo que hoje pareça um evento pouco provável, pode ter um forte impacto sobre a percepção de risco brasileiro, com a consequente depreciação cambial e de ações, disse o economista-chefe da corretora Nova Futura, Pedro Paulo Silveira. “Ele [Lula] sendo mantido preso, o impacto será mínimo, se houver”, disse Silveira.

Para o economista, a soltura do ex-presidente antes da eleição presidencial de outubro é pouco provável, independentemente de qualquer fundamento jurídico. “Lula ficando preso, apesar de eventuais questionamentos, só vai confirmar o entendimento atual do Judiciário, o que reforça a trajetória atual dos preços”, disse.

Segundo Silveira, esse tipo ruído no Judiciário retrata que uma parte dos juízes é contrária à prisão do ex-presidente, mas que não é uma posição dominante. “Não há dúvidas de que existe uma divisão em torno disso no Judiciário, mas é uma minoria que entende de forma diferente a questão. Isso poderia, em algum momento, atuar num tribunal de alguma maneira [favorável ao ex-presidente]. Mas, apesar das discordâncias, o Judiciário como um todo já se assentou em relação a isso e à Lava Jato. Dificilmente, teríamos um entendimento contrário de forma mais duradoura”, afirmou Silveira.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!