Ibovespa recua com cautela local e segue ‘travado’ em 75 mil pontos – Valor

SÃO PAULO  –  A volta do feriado na bolsa brasileira começou sem muito entusiasmo. A alta das bolsas americanas e a queda do dólar não foram suficientes para dar fôlego ao Ibovespa, que segue “preso” na faixa dos 69 mil pontos e 75 mil pontos e com uma tendência mais negativa.

O índice encerrou hoje em queda de 0,20%, aos 74.862 pontos. Na mínima, chegou a cair até os 74.431 pontos, com giro de R$ 8,6 bilhões, em linha com o desempenho do mercado na média de giro nos pregões de 2018.

Na última sexta-feira, o Ibovespa havia superado os 75 mil pontos. Na máxima de hoje, chegou a encostar nos 76 mil pontos, inspirado por uma continuidade dos ganhos dos recibos de ações (ADRs) ontem no mercado americano.

Durante o dia, porém, a bolsa acabou absorvendo o movimento positivo e voltou a ceder. Segundo operadores e analistas, a dificuldade do índice é grande em sair do nível dos 75 mil pontos, em parte porque os emergentes continuam fragilizados ante economias desenvolvidas, mas principalmente porque, a três meses das eleições no Brasil, a falta de visibilidade vai manter o mercado “estacionado”. A faixa dos 75 mil pontos continua convidativa às vendas, o que dificulta ao índice ensaiar avanços.

Em relatório de hoje, o Itaú BBA destaca que a semana é marcada por uma ausência de catalisadores para a bolsa, mas que permanece no radar do investidor o ritmo ainda lento da atividade brasileira em ano eleitoral. A mediana das projeções do Boletim Focus divulgado ontem, quando a bolsa estava fechada, mostram mais um corte nas perspectivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, de 1,59% para 1,53%.

Entre os destaques do dia, a Braskem PNA seguiu liderando ganhos (+6,58%), ainda pelas perspectivas de que a holandesa LyondellBasell compre a fatia da Odebrecht na petroquímica brasileira até outubro deste ano. A JBS (+5,35%), a Cielo (+5,33%) e a WEG (+4,04%) também ficaram entre os avanços do dia.

Na ponta negativa, ênfase para a Suzano ON (-5,11%), seguida por Pão de Açúcar (-3,69%) e CVC (-3,23%). Entre as blue chips da bolsa, Bradesco ON (-1,59%), Bradesco PN (-1,31%) e Vale (-1,61%).

O Itaú Unibanco acabou conseguindo manter um fechamento no azul, em leve alta de 0,26%, o que ajudou a limitar o recuo da bolsa no dia. A Petrobras ON caiu 0,15%, enquanto a PN, mais líquida, cedeu 1,06%.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!