Transformação digital nos bancos está só no começo, diz estudo – Valor

SÃO PAULO  –  A transformação digital é tema prioritário para a maior parte das empresas, especialmente as instituições financeiras. O assunto está na pauta dos principais executivos, dos conselhos e nas campanhas de marketing. Mas apesar do discurso, a verdade é que o processo de migração para modelos mais ágeis de atuação está apenas no início.

Segundo pesquisa da brasileira Cedro Technologies, que desenvolve sistemas e presta serviços para empresas do setor financeiro, apenas um quarto das instituições acredita estar em um processo avançado de transformação de sua atuação. O restante ainda diz estar nos primeiros passos do processo. A pesquisa, que ouviu mais de 100 executivos de tecnologia ao longo do mês de abril, mostra que três entre cada quatro instituições já começou a sua transformação.

A maioria das instituições reconheceu que o principal desafio para fazer a tal transformação digital não está nos temas relacionados à tecnologia, ou mesmo na regulação do setor. O principal problema para mais de um terço das companhias é a cultura da organização, a falta de conhecimento por parte de seus funcionários.

É curioso notar que uma entre cada cinco instituições destacou que parceiros externos e fornecedores também apresentam limitações técnicas na hora de falar ou fornecer tecnologias relacionadas a esse novo momento.

As equipes externas são importantes porque são usadas pela maioria das instituições para compor os times que trabalham no processo de transformação digital. Dois terços das empresas dizem usar um misto de profissionais internos com equipes de parceiros neste momento.

Na média, a prioridade das áreas de tecnologia é investir na abertura de interfaces de programação, as APIs. O movimento é impulsionado pela ideia de permitir que terceiros acessem sistemas do banco para criar novos produtos e serviços, mas está relacionado também às mudanças na forma como as áreas de tecnologia funcionam. Isso porque as APIs também podem ser usadas internamente para acelerar o lançamento de produtos da própria instituição.

O segundo tema mais importante informado pelos diretores de tecnologia, que é uma preocupação constante do setor, é a segurança, que está muito relacionado à abertura das APIs. Na sequência, estão o atendimento a requisitos legais, melhoria das interfaces com usuários, infraestrutura, melhoria de processos internos, serviços cognitivos e o blockchain. Principalmente no que diz respeito a esses dois últimos tópicos, que também são muito falados a todo momento, a baixa prioridade está ligada às dúvidas de como adotar essas tecnologias.

A tendência inexorável é que o movimento vá ganhando corpo nos próximos meses. A estimativa da Cedro é que o setor financeiro esteja trabalhando a apenas 18% de seu potencial quando o assunto é transformação digital, o que representa um grande caminho a ser percorrido.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!