Bolsas europeias fecham em alta, guiadas por indicadores e Reino Unido – Exame

No cenário de força da atividade econômica e pressão inflacionária limitada, investidores foram às compras, ainda reagindo à menor tensão entre EUA e China

Por Estadão Conteúdo

access_time 12 jul 2018, 15h51

São Paulo – Os mercados acionários europeus encerraram em alta o pregão desta quinta-feira, 12, em um movimento de recuperação das perdas registradas na sessão anterior, quando a escalada nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China fortaleceu a aversão a ativos considerados mais arriscados, como as ações. Com indicadores da economia da região também no radar, o índice pan-europeu Stoxx-600 fechou em alta de 0,78% (+2,97 pontos), para 384,37 pontos.

Na agenda de indicadores, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha confirmou o dado preliminar e apresentou avanço de 2,1% na comparação anual de junho, enquanto o CPI da França desapontou as previsões ao subir 2,0% na mesma base comparativa, abaixo do esperado por analistas (+2,1%). Além disso, a produção industrial da zona do euro mostrou crescimento de 1,3% na passagem de abril para maio, acima da previsão de alta de 1,2%.

No cenário de força da atividade econômica e pressão inflacionária limitada, os investidores foram às compras, ainda reagindo à menor tensão entre EUA e China. De acordo com a secretaria do Tesouro americano, Washington não está em uma guerra comercial contra Pequim, mas apenas em disputas comerciais que envolvem alguns setores. Não por acaso, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em alta de 0,61%, aos 12.492,97 pontos, e o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,97%, aos 5.405,90 pontos.

Ações do setor bancário, em particular, reagiram à divulgação do Livro Branco, documento divulgado pelo governo do Reino Unido sobre as intenções britânicas para as relações comerciais com a União Europeia após o Brexit. O relatório desagradou a City londrina, que afirmou que o fracasso do governo de Theresa May em garantir um acordo traz risco de fragmentação do mercado financeiro. Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,78%, aos 7.651,33 pontos. Mesmo com as críticas, os bancos apresentaram alta: o Lloyds subiu 0,37%, o Barclays avançou 1,09% e o HSBC ganhou 1,36%.

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 0,35%, aos 9.767,40 pontos. Já na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 destoou dos pares europeus e encerrou o dia com perda de 0,05%, aos 5.633,88 pontos.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!