ANP recebe 408 contribuições em consulta sobre 5ª Rodada do Pré-Sal

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou hoje (13), durante audiência pública, informações da consulta pública aberta após a divulgação do pré-edital e das minutas de contratos da 5ª Rodada de Partilha de Produção no Pré-Sal. O prazo para participação terminou na última quarta-feira (11). Foram recebidas 408 contribuições, sendo 28% foram relacionadas com regras do consórcio e 28% sobre os procedimentos para apuração do custo e excedente em óleo.

O restante das contribuições envolve a cláusula de conteúdo local, regime jurídico, dispositivos relativos à arbitragem, cessão do contrato e plano de desenvolvimento, entre outros tópicos. Na 5ª Rodada de Partilha de Produção no Pré-Sal, serão ofertadas as áreas de Saturno, Titã, Pau-Brasil e Sudoeste de Tartaruga Verde.

A audiência pública realizada hoje é uma exigência legal, para dar transparência ao processo e permitir que os agentes interessados possam obter informações e fazer comentários. A ANP agora irá analisar todas as contribuições recebidas na consulta pública e, no dia 9 de agosto, divulgará o edital e os modelos de contrato definitivos. A licitação está agendada para o dia 28 de setembro.

O pré-edital traz informações das áreas que serão ofertadas, bem como as regras e procedimentos para participação e o cronograma preliminar. Há algumas mudanças em comparação com rodadas anteriores. “Para essa licitação, a principal novidade é que tivemos que disponibilizar três modelos de contrato”, disse Heloísa Borges Esteves, superintendente-adjunta de promoção de licitações da ANP, durante sua exposição na audiência pública.

Conforme a legislação em vigor, no regime de partilha, a Petrobras pode exercer a preferência para atuar como operadora dos blocos a serem contratados. Nesse caso, sua participação no consórcio não pode ser inferior a 30%. Nesta 5ª Rodada, a estatal comunicou o interesse em participar como operadora somente na área de Sudoeste de Tartaruga Verde.

Por esta razão, a ANP elaborou três minutas de contrato. Uma delas, para as áreas de Saturno, Titã e Pau-Brasil, onde não haverá operação obrigatória da Petrobras. Outra foi elaborada para a área Sudoeste de Tartaruga Verde considerando a operação obrigatória da estatal brasileira. A terceira minuta leva em conta a possibilidade da Petrobras se retirar do consórcio de Sudoeste de Tartaruga Verde e considera ainda diferenças para as demais áreas.

“Tartaruga Verde tem uma particularidade por conta da resolução do CNPE [Conselho Nacional de Politica Energética], que diz que o conteúdo local dessa área deve seguir as regras de conteúdo local da área adjacente. Então o contrato do Sudoeste de Tartaruga Verde traz uma cláusula de conteúdo local diferente dos contratos das outras áreas”, explica Heloísa. 

O pré-edital traz ainda mudanças relacionadas com o patrimônio líquido mínimo para fins de qualificação financeira e com os valores das garantias financeiras do programa exploratório mínimo. A forma de apresentação de documentos também sofreu alterações.

Os contratos a serem assinados pelos vencedores da licitação lhes darão direito de explorar as áreas por 35 anos. Os sete anos iniciais serão dedicadas à fase de exploração, que precede a fase de produção e tem por objetivo descobrir e avaliar as jazidas. 

Edição: Sabrina Craide

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!