EURUSD: Análise de Mercado (02/08/18) – Investing.com

Na quarta-feira (01/08), fechou em queda novamente. O motivo foi o fortalecimento do diante da valorização das títulos a 10 anos do Tesouro dos EUA (US10Y).

O rendimento subiu para 3% na véspera da reunião do Fed (Federal Reserve, Banco Central dos EUA), mas essa alta também foi uma reação à declaração do Secretário do Tesouro do país sobre os planos de aumentar a venda títulos da dívida de longo prazo num volume que chegaria a US$ 78 bilhões, contra os US$ 73 bilhões do trimestre anterior.

O Comitê Federal do Mercado Aberto (FOMC) do Fed manteve a taxa de juros dentro de 1,75-2,00%, como era esperado. Na declaração do comitê sobre a política monetária, falou-se que a instituição espera aumentos graduais da taxa de juros no futuro. A cotação do euro fechou em 1,1659.
Indicadores econômicos

  • Índice de Gestores de Compras (PMI) no setor industrial do ISM (jul): 58,1 (projeção: 59,4; anterior: 60,2).
  • Variação de Empregos Privados ADP: 219 mil (projeção: 186 mil; anterior: de 177 mil para 181 mil).


Análise Técnica

O prognóstico de 2h funcionou. A cotação do euro subiu até 1,1748 e depois de 39 horas caiu para o limite inferior do intervalo, 1,1650.

Na Ásia, o euro se desvalorizou frente ao dólar até 1,1654. No prognóstico de hoje, espero um rebote a partir da zona de suporte, com alvo no grau 45. Não sei qual será a mínima da sessão asiática; estimaria de 1,1650 para cima.

Não espero uma alta além de 1,1705 porque o par pode chegar até 1,1615. Na quarta-feira, o presidente dos EUA, D. Trump, determinou que sua representação comercial aumente as tarifas sobre 200 bilhões em produtos importados da China, confirmou o representante comercial do país, Robert Lighthizer. A maioria dos pares cruzados com o euro está sendo cotada em alta, mas não há garantias de que os investidores não correrão para os ativos de proteção.

Hoje os principais eventos para o mercado são a reunião do Banco da Inglaterra (BoE) e o discurso do presidente do banco, Mark . A expectativa do mercado é de um aumento da taxa de 0,25 a 0,75 pontos percentuais. Espera-se forte volatilidade, embora o mercado já tenha levado em conta a alta. Não se sabe o que Carney vai dizer, por isso vale acompanhar a dinâmica do par cruzado .

O rendimento do está nos 3%. Há a probabilidade de um aumento da taxa até 3,02%. Se não subir além desse patamar, então podemos esperar uma correção para baixo, até 2,98%, favorecendo a moeda única. Estou torcendo por uma correção para cima.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!