Ultrapar estima perda de R$ 213 mi com greve dos caminhoneiros – Exame

O episódio também teve efeitos negativos sobre a Oxiteno, a Ultragaz e a Extrafarma, assim como na distribuidora de combustíveis Ipiranga

Por Estadão Conteúdo

access_time 1 ago 2018, 22h22

São Paulo – A greve dos caminhoneiros que aconteceu em maio não afetou apenas os resultados da Ipiranga, unidade de distribuição de combustíveis da Ultrapar, no balanço do segundo trimestre deste ano. O episódio também teve efeitos negativos sobre a Oxiteno, a Ultragaz e a Extrafarma. No total, a companhia calcula que perdeu R$ 213 milhões.

Na Ipiranga, os bloqueios nas bases de distribuição impossibilitaram o escoamento de produtos, gerando um impacto operacional estimado em 4% do volume de vendas. Esse impacto na perda de volume somado aos custos extraordinários com logística e segurança totalizou R$ 40 milhões.

Além disso, a redução de R$ 0,46 por litro do preço do diesel gerou uma perda pontual nos estoques de R$ 147 milhões, dos quais R$ 123 milhões em maio e junho e R$ 24 milhões em julho, devido à contabilização do estoque pelo custo médio.

Na Oxiteno, divisão de especialidades químicas, a empresa estimou a perda em R$ 13 milhões no trimestre. A greve dos caminhoneiros ocasionou a parada temporária de quatro unidades produtivas (Mauá, Suzano, Tremembé e Triunfo), em função da impossibilidade de escoamento de produtos. O impacto estimado no volume doméstico foi de 6 mil toneladas.

Na Ultragaz, negócio de distribuição de gás, a dificuldade de entrega de produtos foi concentrada no segmento granel, ocasionando uma perda de cerca de 7 mil toneladas. No Ebitda, o efeito foi de R$ 10 milhões.

Por fim, na rede de farmácias Extrafarma, a greve causou problemas logísticos no recebimento e na distribuição de produtos, além do menor fluxo de pessoas nas lojas durante a greve, resultando em um menor faturamento, com impacto no Ebitda de R$ 3 milhões.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!