Balanço da Petrobras Mostra Retorno à Normalidade – Investing.com

O anúncio do lucro de R$ 10 bilhões no segundo trimestre mostra que a empresa finalizou o ciclo de ajustes em seus balanços, que consumiu mais de uma centena de bilhões de reais em reavaliações patrimoniais, provisões e pagamentos de indenizações. Do ponto de vista operacional, a empresa mostrou que a alta do e a agressiva política de preços permitiu que o lucro da empresa voltasse aos patamares anteriores à crise que se abateu sobre a empresa e foi responsável por grande parte da perda de seu valor de mercado.

A produção diária no trimestre foi em média de 2,659 milhões de bpd, contra uma média de 2,776 milhões de bpd no 2T_2017. O preço médio do barril WTI no 2T_2018 foi de US$ 62,89 contra US$ 48,24 no 2T_2017. Hoje a cotação do barril está em US$ 69,5. Em relação ao fechamento de ontem, o PL projetado da empresa, com esse resultado anualizado, ficaria em 7x, contra um PL de 11x da Shell e de 17x da BP.

Retirando-se os efeitos das incertezas eleitorais, que podem influenciar na politica de preços no próximo mandato, esse resultado tende a abrir um ciclo de valorização das ações da empresa.

As ações da empresa (SA:) estão subindo quase 4%, completando 7,5% em agosto e quase 32% em 2018.

O anúncio da criação de vagas nos EUA, com um total menor que o esperado pelo mercado, deixou os mercados de juros e moedas confiantes, sem movimentos bruscos. Apesar da criação menor que as expectativas, a taxa de desemprego apresentou queda, voltando para 3,9%, depois de subir para 4% em junho.

No cenário externo o que voltou a sacudir as expectativas foi a guerra comercial levada a cabo pelo governo Trump, que adotou a estratégia de bater e assoprar em relação aos seus principais parceiros, com destaque para a China. Além de ser custosa para o mercado, que vive de antecipar os movimentos dos agentes na economia e na política, produz efeitos reais na economia dos EUA. Hoje o ministro das finanças da China anunciou que pretende taxar US$ 60 bilhões de importações dos EUA, em um total de 5,2 mil produtos, caso os EUA realmente taxem em 25% os US$ 200 bilhões, conforme os rumores dessa semana. Em função desse ambiente de incertezas, as bolsas dos EUA mantêm uma trajetória moderada.

O despencou 16 pontos no futuro, mantendo a moeda brasileira sem pressão na semana. O mesmo ambiente ocorre no mercado de juros, com o DI para jan/2021 caindo para 8,85%, bem abaixo dos 9,18% de 03 de julho e dos 10,5% de junho.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!