Como não falhar após um ICO: 5 dicas principais dos especialistas do IBRC – Portal do Bitcoin

Quase 60% dos ICOs efetivamente deixam de existir no primeiro trimestre após o término da venda dos tokens. Esta informação foi publicada pela Bloomberg. Um pouco antes, o TechCrunch analisou os dados coletados pelos sites Coinopsy e DeadCoins, que rastreiam as estatísticas de projetos de criptomoedas que falharam, e concluiu que no ano passado o mercado “perdeu” mais de 1.000 startups. Por sua vez, o Satis Group, uma das principais empresas de consultoria do setor de oferta inicial de moedas, citou uma estatística ainda mais assustadora: 80% dos ICOs realizados em 2017 acabaram se tornando fraudes.

Por que os projetos, muitos dos quais inicialmente pareciam promissores, acabam em colapso após o fim de seus ICOs e quais são os erros mais comuns que devem ser evitados para evitar a catástrofe? Se desconsiderarmos casos de fraudes evidentes quando os fundadores de startups pretendiam cobrar dinheiro e “enganar” seus portadores de tokens, é mais frequente que eles desapareçam depois de seus ICOs apenas devido à ignorância ou inação de seus fundadores. Especialistas do IBRC (ICOBox Blockchain Research Center) analisaram os primeiros 50 ICOs de sucesso da segunda metade de 2017 – início de 2018 e apresentam as dicas a seguir.

Dica 1. Fique no centro das atenções

Um dos erros mais comuns cometidos por startups diz respeito ao seu desaparecimento das notícias após o ICO. Depois de esgotar a oferta inicial de moeda e coletar o limite máximo, os criadores de projetos tiram desaceleram, supondo que o projeto deles é tão legal que atrairá a mesma atenção que no passado. Eles estão simplesmente errados.

Manter contato regular com a comunidade do projeto nas redes sociais e aumentar o interesse pela plataforma são componentes-chave da sobrevivência após o ICO. É altamente improvável que a comunidade do projeto aprecie a queda abrupta de comunicações regulares dos criadores da plataforma assim que a oferta inicial termine.

Por sua vez, é altamente improvável que traders e especuladores leiam atentamente o White Paper da startup e apreciem todas as suas nuances – eles simplesmente não têm tempo para fazer isso. Como no caso de qualquer mercado financeiro, eles são muito mais acionados do que podem julgar a viabilidade do projeto. Notícias sobre o tamanho dos descontos, anúncios sobre os preparativos para uma nova etapa ou a transição para esta etapa, a emissão de um relatório sobre o trabalho realizado em um período específico, o apoio de instituições, a assinatura de um acordo de cooperação com conhecidos entusiastas do blockchain ou um guru no mercado de criptomoedas, – o lançamento regular de todas essas informações possibilitará manter o projeto no centro das atenções, mesmo que você esteja prevendo certo tempo de inatividade no desenvolvimento do seu projeto.

Além disso, você nunca deve parar de lembrar seu público sobre seu roteiro. O cumprimento rigoroso de todas as etapas planejadas do projeto e a notificação imediata do mercado ao atingir esses estágios ajudarão a startup a manter a confiança do mercado.

Por outro lado, qualquer desvio dos estágios especificados no roteiro faz com que os clientes se perguntem se o projeto é realmente viável. Assim, quaisquer mudanças no roteiro devem ser imediatamente anunciadas e explicadas à comunidade de criptomoeda.

Qualquer desvio dessas regras resultará no rápido e inevitável colapso do projeto. Você só precisa esquecer algumas ocasiões para aumentar o interesse em seu projeto ou desviar do roteiro para reduzir o valor de seus tokens e queimar.

Dica 2. Não superestime suas próprias habilidades

Um erro não menos comum é superestimar suas próprias habilidades – em particular após um ICO bem-sucedido. A autoconfiança excessiva dos criadores do projeto, beirando a arrogância, já matou muitos projetos. Na maioria das vezes, os fundadores do projeto têm a crença errônea de que, se a equipe manejar com sucesso a preparação e o lançamento do projeto, eles poderão continuar com esse sucesso daqui para frente. No entanto, isso nem sempre é o caso.

Quando o ICO termina, o paradigma do projeto muda. Enquanto no período que antecede a venda de token, mais marketing e relações públicas são necessárias, após a conclusão da oferta inicial de moeda, ela se torna efetivamente uma startup de TI de pleno direito. Agora, palavras bonitas e conversas suaves não são mais suficientes – o projeto precisa de pessoas capazes de gerenciar a plataforma e estabelecer todos os processos necessários para que ela funcione.

Não será preciso dizer que não há necessidade de mudar toda a equipe do projeto. Ao mesmo tempo, é recomendável alguma reestruturação. Um diretor de operações e gerente de TI experiente ajudará a mudar rapidamente as prioridades, sem prejuízo para comunicações externas e marketing. Este último pode ser totalmente terceirizado e transferido para agências de marketing e relações públicas. Eles podem oferecer muito mais para a startup após o ICO do que a equipe de amigos próximos que surgiu com o projeto. E não se esqueça de que o princípio subjacente do setor de criptomoedas é a descentralização. Se ficar claro que certos objetivos podem ser alcançados através da terceirização para desenvolvedores de terceiros, não torture você e sua equipe com horas extras sem fim – simplesmente terceirize a tarefa.

Como regra geral, dividir e governar – você tem um negócio que deve operar e evoluir; não deveria ser um clube de passatempo.

Dica 3. Foque na segurança

Em média, cada projeto de ICO contém cinco erros no código, e pelo menos 70% dos projetos de blockchain usando contatos inteligentes possuem erros classificados como vulnerabilidades de segurança. Tais dados foram citados pela Positive Technologies com base em sua análise do mercado. Além disso, descobriu-se que os atacantes poderiam ter como alvo os organizadores do ICO (falhas que os permitissem fazer ataques foram identificados em um a cada três projeto analisado) e investidores, assim como contratos inteligentes, aplicativos da Web e aplicativos móveis.

Pesquisadores do Instituto da Pensilvânia, nos EUA, também destacaram essa questão. Eles analisaram os 50 principais projetos e descobriram que apenas dez deles haviam realmente fornecido os contratos inteligentes que prometeram. O restante simplesmente não incluiu um código correspondente em seus protocolos.

O detentor da criptomoeda, entusiasta do blockchain e co-fundador da ICOBox, Anar Babaev, comenta: “As razões para tais erros tendem a ser as mais banais. E isso pode ter as consequências mais trágicas – de tentativas de roubar as senhas do domínio, hospedagem e outros serviços até falsificação de IP da carteira para a qual os fundos são coletados. Como resultado – total destruição.

E não se esqueça de que o mercado de criptomoedas está cheio de fraudadores prontos para converter seus erros em seus próprios ganhos. A segurança do projeto é o último lugar onde você deve tentar cortar custos.

Dica 4. Não se esqueça de contratar um advogado

A indústria de criptomoedas de hoje não está sujeita a regulamentações legais unificadas: diferentes países aplicam regras diferentes às criptomoedas (ou as proíbem completamente). A falha em considerar prontamente esses aspectos e encontrar a solução certa para possíveis problemas na estrutura legal é outro grande risco para um projeto.

A falha em incluir o IVA no modelo financeiro, seguida pela percepção de que você deveria tê-lo incluído: você deve admitir que essa não é uma boa surpresa.

O mesmo vale para tokens – quanto mais cedo os desenvolvedores do projeto obtiverem uma opinião legal sobre sua natureza, melhor.

É preferível não poupar despesas com advogados competentes desde o início do que ter que lidar com as alegações de que você enganou os processos públicos ou administrativos contra membros da equipe e conselheiros, ou até mesmo se deparar com processos criminais. Felizmente, mais e mais advogados especializados em ICOs estão aparecendo no mercado. Além disso, esses serviços são oferecidos pela maioria das empresas líderes especializadas na preparação de startups para ICOs, por exemplo, ICOBox, Applicature, Startups Oficiais, Argon Group, AmaZix, etc.

Dica 5. Decida antecipadamente como os tokens do projeto funcionarão

O token de qualquer projeto normal é criado para uso subsequente em seu sistema econômico. Infelizmente, no entanto, nem todas as empresas sabem disso. Após a emissão das moedas, elas procuram vendê-las o mais rápido possível no mercado de criptomoedas e ganham dinheiro com a oferta inicial. Então, tendo levantado todo o dinheiro, eles repentinamente se perguntam: “E o que devemos fazer com ele agora?”

É muito importante entender: o projeto não funcionará se seus tokens estiverem como um peso morto nos bolsos dos usuários e não forem usados. Esse peso morto poderia arrastar a startup para o buraco mesmo após o ICO mais bem-sucedido.

Seus tokens devem se tornar o driver que ajudará um projeto a evoluir. Eles devem funcionar dentro do sistema. Como exatamente? Isso é algo que os fundadores do projeto precisam pensar. E isso deve ser feito antes e não durante e certamente não depois do ICO.

“Como em qualquer negócio sério, na indústria de criptomoedas também é muito importante calcular antecipadamente todos os seus riscos e antecipar possíveis cenários negativos de desenvolvimento de projetos. O maior erro dos fundadores é que eles fazem tudo com pressa, resolvem quaisquer problemas que surjam na hora e não olham mais para frente, para o período em que o ICO acabou”, afirma Daria Generalova, consultora de desenvolvimento de negócios do IBRC. Ela acrescenta: “Quando aconselhamos nossos clientes, sempre nos certificamos de que seus planos incluam um foco no período pós-ICO em todas as cinco áreas. Isso é muito importante, não apenas para uma empresa específica, mas também para o estado do mercado de criptomoedas como um todo. Conforme os projetos mais bem-sucedidos operam no mercado, mais saudável será a economia inteira. E quanto mais cedo o mundo reconhecer o seu papel como um instrumento financeiro de pleno direito. É aí que as moedas criptográficas se tornarão atraentes para entrada de grandes somas de dinheiro.

O post Como não falhar após um ICO: 5 dicas principais dos especialistas do IBRC apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!