Crise na Nicarágua afetou projetos e desembolsos do BID – Exame

Os protestos contra o governo que abalam a Nicarágua desde abril, e cuja violenta repressão gerou críticas internacionais, afetaram o trabalho do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no país, mas sua direção ainda não considerou suspender os desembolsos dos empréstimos, anunciou o organismo nesta terça-feira (7).

O BID acompanha “de perto” os eventos na Nicarágua, que afetaram sua gestão no terreno e levaram à retirada de pessoal não essencial do escritório de Manágua por razões de segurança, disse um porta-voz à AFP.

“A crise afetou a preparação e execução de projetos e desembolsos de empréstimos do BID no país. Nossa carteira ativa de empréstimos para investimento na Nicarágua tem um saldo a desembolsar de 624 milhões de dólares”, explicou.

A direção do BID, onde estão representados os 48 Estados-membros, pode suspender os desembolsos a um país mutuário, como a Nicarágua, mas não o fez.

“Até a presente data, essa alternativa não foi discutida por nossa direção”, diz o porta-voz.

“Continuamos atentos a deliberações sobre a Nicarágua na Organização dos Estados Americanos (OEA) e apoiamos os chamados da comunidade internacional por uma resolução pacífica do conflito político neste país membro do BID”, acrescentou.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!