Tecnologia para reverter o envelhecimento: startup de blockchain se une à luta pela longevidade – Portal do Bitcoin

A fonte mítica da juventude. Os contos do que apareceu em escritos de Heródoto, foi procurado pelos imperadores da China antiga, por causa de seus alquimistas que passaram anos tentando criar uma pedra filosofal. Séculos se passaram, o progresso tecnológico avança inexoravelmente, mas a questão de reverter a era ainda está em equilíbrio. Em todo o mundo, centenas de clínicas e laboratórios gastam milhões de dólares em busca de uma maneira de desacelerar o tempo biológico. Agora, no auge da blockchain e das criptomoedas, startups de alta tecnologia também estão se unindo à corrida pela eterna juventude.

Células semelhantes a camaleão

Segundo o Banco Mundial, cerca de 8,7% da população mundial é composta de pessoas com mais de 65 anos. Isso representa cerca de 652 milhões de seres humanos! As previsões são ainda mais desanimadoras: o envelhecimento da população cresce a uma taxa sem precedentes e a porcentagem é projetada para chegar a quase 17% até 2050.

A expectativa de vida também aumenta. Mas uma vida mais longa não significa necessariamente uma vida melhor. Com a idade, uma pessoa inevitavelmente perde força, beleza e é propensa a doenças crônicas graves. Com os últimos anos vem um fator de risco cada vez maior para doenças degenerativas e o desenvolvimento de tumores malignos, doença de Alzheimer ou demência.

Ao derrotar o envelhecimento, podemos superar muitas doenças. E vice-versa – prevenindo e curando estas doenças, podemos finalmente encontrar longevidade.

Por mais de uma década, a terapia com células-tronco tem estado na vanguarda de uma luta contra o envelhecimento e doenças graves.

As células-tronco são os blocos de construção “universais” – progenitores de todos os tipos de células do nosso corpo. Eles são capazes de se dividir e se transformar repetidamente em células de qualquer órgão. Simplificando, se o corpo precisa regenerar um tecido, as células-tronco têm a capacidade de se transformar nessas células de tecido necessárias. O mesmo acontece com ossos, músculos e tendões. Assim, o corpo se conserta sem medicações ou cirurgias envolvidas. A terapia com células-tronco já está sendo usada para tratar rupturas tendíneas e doenças graves, como leucemia e linfoma.

Se as células-tronco têm um potencial tão grande e já provaram sua eficácia no tratamento de várias doenças, qual é o problema?

Acelerando o progresso

De fato, existem vários problemas. Em primeiro lugar, o alto preço. Por exemplo, as clínicas americanas cobram quase US$ 10.000 por tratamento. A maioria dos pacientes não precisa apenas de uma sessão de terapia, mas de uma rodada inteira. Às vezes, o custo final pode chegar a mais de US $ 100.000, sem incluir possíveis despesas de viagem ou acompanhamento.

Além disso, a disponibilidade de terapias com células-tronco em todo o mundo é muito mais limitada do que em outros tratamentos médicos. Devido a isso, há um fenômeno crescente de turismo de células-tronco. Os destinos mais populares são os países asiáticos da China, Singapura, Malásia, Japão e Tailândia.

A terapia com células-tronco é relativamente nova e promissora, mas ainda é pouco explorada. Centenas de empresas de biotecnologia em todo o mundo estão envolvidas na pesquisa de biotecnologias, incluindo o transplante de células-tronco. Os cientistas estão buscando ativamente estudos sobre o uso de terapia celular na restauração da visão para os cegos, reaparecer os dentes e tratar as doenças de Alzheimer e Parkinson.

Com todas essas empresas envolvidas, não é surpresa que o mercado global de terapia celular esteja crescendo rapidamente. De acordo com a análise realizada pela Transparency Market Research, a indústria deve atingir US $ 270,5 bilhões até 2025.

Hoje, a luta contra o envelhecimento deixa de ser muito para entusiastas, doadores e filantropos, mas chama a atenção de grandes investidores e capitalistas de risco.

O mercado de células-tronco já tem seus “unicórnios” de alta tecnologia. Entre eles, a empresa de biotecnologia Sangamo Therapeutics Inc., com uma capitalização de mercado de US$ 1,34 bilhão; Athersys com um valor de US$ 264,88 milhões, Cellular Biomedicine Group Inc. com um preço por ações de mais de US$ 20.

A crescente indústria de criptomoedas também não se mantém distante e faz sua própria contribuição para resolver o problema global. Em fevereiro de 2018, uma das pessoas mais famosas do mundo das criptomoedas – o fundador do Ethereum Vitalik Buterin – doou US$ 2,4 milhões para a SENS Research Foundation, uma instituição de caridade para o tratamento de doenças relacionadas à idade.

As empresas blockchain não estão apenas doando dinheiro, algumas delas planejam facilitar a pesquisa do tratamento com células-tronco e expõem essa terapia inovadora a mais pessoas. Isto é o que o empreendimento de blockchain japonês Stem Cell Project está trabalhando. Ele procura estender a expectativa de vida saudável e fazer sua própria contribuição para a medicina regenerativa – com a ajuda de blockchain, cryptocurrency e seu próprio token SCC.

“O que podemos fazer agora com terapia celular é apenas a ponta do iceberg”, comenta a equipe do Stem Cell Project. “As possibilidades de uso de células-tronco são muito mais amplas. E queremos estar na vanguarda de novas descobertas, que podem salvar muitas vidas no futuro. A criptomoeda é sem fronteiras e a saúde deve ser a mesma – sem limites”.

O projeto promove uma tecnologia especial para produção rápida e precisa de células-tronco para permitir que mais pessoas tenham acesso a esse tratamento avançado. Desta forma, torna-se possível otimizar o custo da terapia celular e criar um ambiente onde as pessoas possam recebê-lo em igualdade de condições. O Stem Cell Project se concentra principalmente em duas direções: tornar possível pagar o tratamento com células-tronco em criptomoedas e aproximar a medicina regenerativa de milhões de pessoas – na Ásia e em todo o mundo. Não importa quem é o paciente e que tipo de pagamento ele escolhe.

Com muitos empreendimentos de alta tecnologia já envolvidos e companhias de blockchain se juntando à corrida, nossos sonhos de uma vida duradoura têm o potencial de finalmente se tornar uma realidade. Vitalik Buterin e o Stem Cell Project estão entre os “pioneiros das criptomoedas” que estão na fronteira e fazem sua própria contribuição para a medicina regenerativa moderna. E quem sabe, talvez suas atividades ajudem a mudar radicalmente nossas vidas humanas.

Saiba mais sobre os planos e visão do Projeto Stem Cell no site e no chat do Telegram. Participe da discussão.

O post Tecnologia para reverter o envelhecimento: startup de blockchain se une à luta pela longevidade apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!