Rio e governo federal assinam termo para reduzir mortes no trânsito – Isto É

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, assinaram hoje (13), no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, o Termo de Cooperação para Segurança Viária – Road Safety. O documento referenda diretrizes do Ministério das Cidades e da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) visando à redução das mortes no trânsito.

De acordo com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, a iniciativa vai complementar o trabalho feito no estado para reduzir os acidentes e mortes no trânsito. “Nós, no âmbito do governo federal, estamos buscando retomar a meta de redução de 50% das mortes nos próximos anos. O lançamento do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, o Pnatrans, esse ano, é mais um passo neste sentido”, afirmou.

O governador Luiz Fernando Pezão agradeceu a parceria com o Ministério das Cidades em outras áreas, como na habitação e na mobilidade urbana. Pezão destacou casos de políticas públicas de sucesso no Rio de Janeiro, com a Lei Seca, considerado referência nacional: “Nas emergências dos hospitais, nos finais de semana, o movimento caiu mais de 40%”, disse.

Para o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Maurício Alves, no Rio de Janeiro, essa cumplicidade de ações “tem avançado a passos largos, sendo um grande modelo de gestão eficiente e que busca o objetivo maior, que é reduzir de forma absoluta o número de mortes e acidentes no trânsito.”

Mortes no trânsito

Os acidentes de trânsito no Brasil matam cerca de 45 mil pessoas por ano e deixam mais de 300 mil com lesões graves. Em rodovias, custam à sociedade cerca de R$ 40 bilhões por ano e nas áreas urbanas, cerca de R$ 10 bilhões.

O post Rio e governo federal assinam termo para reduzir mortes no trânsito apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!