Jornais apontam britânico de origem sudanesa como autor do atentado em Londres – Isto É

Um dia depois do atentado com carro em Londres, que deixou três feridos perto do Parlamento, a imprensa britânica identificou, nesta quarta-feira (15), o suspeito detido: o britânico de origem sudanesa, Salih Khater.

A Polícia antiterrorista, encarregada da investigação, recusou-se a confirmar o nome deste indivíduo de 29 anos, detido por ser “suspeito de atos terroristas”. Nesta quarta, prosseguiam as operações de busca iniciadas ontem em Birmingham e Nottingham (centro da Inglaterra).

Os investigadores descobriram que o veículo usado no ataque chegou a Londres, procedente de Birmingham, na segunda à noite.

De acordo com o “Telegraph”, o suspeito vive no bairro de Hall Green, em Birmingham, onde é gerente de uma loja. De origem sudanesa, estudou na Universidade de Ciência e Tecnologia de Cartum, segundo sua página no Facebook, e teria chegado ao país há cinco anos.

O jornal garante que Salih Khater era conhecido pela Polícia de Birmingham. Na terça, o chefe da Divisão de Antiterrorismo, Neil Basu, declarou que “não era conhecido” pela Polícia londrina, nem pelos serviços de Inteligência interna (MI5).

O “Times” apontou, por sua vez, que a Polícia tenta estabelecer se existe um vínculo entre Salih Khater e Khalil Masood, autor de um atentado similar em março de 2017 perto do Parlamento de Londres. Neste episódio, cinco pessoas morreram, e dezenas ficaram feridas.

Khalil Masood vivia em Sparbrook, outro bairro de Birmingham, a dez minutos apenas da casa de Salih Khater.

Na terça, o suspeito atropelou, com um Ford Fiesta, ciclistas e pedestres na frente do Parlamento, em Londres, e investiu o automóvel contra a barreira de segurança do prédio. O ataque deixou três feridos e está sendo investigado pela Polícia como um “ato terrorista”.

– Ameaça terrorista ‘grave’ –

As imagens de vigilância indicam que às 7h37 de terça (3h37 em Brasília), o Ford Fiesta cinza metálico atropelou ciclistas e pedestres antes de se chocar contra os muros de segurança do Parlamento. O motorista foi detido.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, que está de férias na Suíça, desejou uma “pronta recuperação” dos feridos e agradeceu aos serviços de emergência por sua “formidável coragem”.

“A ameaça terrorista no Reino Unido continua sendo grave”, acrescentou, pedindo à população que “permaneça vigilante”.

Em declaração à rede BBC nesta quarta, a chefe da Scotland Yard, Cressida Dick, mencionou a possível transformação dos arredores do Parlamento em uma área exclusiva para pedestres, para reforçar a segurança nessa região várias vezes alvo de ataque.

Em 2017, o Reino Unido foi abalado por uma onda de atentados. Quatro deles foram reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI), deixando um total de 36 mortos e 200 feridos. Um desses ataques aconteceu em março, na Ponte de Westminster, que leva ao Parlamento.

O autor do atentado, que deixou cinco mortos, atropelou várias pessoas que caminhavam na calçada da ponte e terminou lançando o veículo contra as grades do Parlamento.

Na sequência, Khalid Masood deixou o carro e apunhalou um policial até a morte, antes de ser abatido.

Desde então, foi instalada uma barreira de segurança feita de concreto e aço ao redor das grades do Parlamento e nas calçadas que levam à ponte.

O post Jornais apontam britânico de origem sudanesa como autor do atentado em Londres apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!