Gráfico do Dia: Petróleo Abaixo de Tendência de Médio Prazo e Pode Cair Mais – Investing.com

O está sob pressão significativa, pois vários riscos ameaçam a expansão econômica global contínua. Os culpados óbvios incluem a crise econômica turca e a guerra comercial em curso.

O primeiro já afetou os bancos europeus; no entanto, isso é provavelmente um problema de curto prazo, já que a exposição foi baixa. O último risco pode ser mais permanente, já que ameaça acabar com o crescimento econômico, que já deve diminuir com a conclusão do ciclo de negócios.

Essa perspectiva de uma desaceleração econômica global desestimulou a demanda por petróleo, o que ficou sinalizado muito claramente ontem quando os atingiram um nível máximo em 17 meses.

Petróleo Diário

O preço da commodity caiu devido às notícias e ficou abaixo da linha de tendência de alta desde 14 de novembro de 2017 depois de não ter conseguido se elevar acima da média móvel diária de 100 na terça-feira. Entretanto, a cotação da commodity se recuperou após cair ligeiramente após a média móvel de 200.

Como tal, o preço pode ficar preso entre os US$ 68,5, média móvel diária de 100, e os US$ 64,50, média móvel diária de 200. O contrato sinalizaria uma reversão se registrasse um pico abaixo de US$ 63,59, o nível registrado em 18 de junho (linha vermelha horizontal e grossa).

Petróleo semanal

Petróleo semanal

Observe no gráfico semanal, acima, que o média móvel semanal de 50 (verde) dá sustentação ao ponto inferior prévio, já que a média semanal de 100 (azul) se move perfeitamente ao longo da linha de tendência de alta de longo prazo desde a parte inferior de fevereiro de 2016.

O topo do canal ascendente desde meados de 2016 mudou de resistência para sustentação. Note também que, ao lado disso, a linha de tendência de alta de médio prazo desde novembro de 2017 começou. O preço quebrou a sustentação do topo do canal de longo prazo com o da linha de tendência de alta de médio prazo.

O MACD forneceu um sinal de venda quando a média móvel curta (em azul) testou a média móvel (em vermelho), apenas para cair mais (veja a elipse). Além disso, o índice de força relativa caiu abaixo de sua sustentação desde 5 de fevereiro. Além disso, pela primeira vez desde janeiro de 2015, o indicador de força caiu abaixo da sua linha de tendência de alta.

Esses sinais aumentam a probabilidade de o preço seguir o exemplo, cruzando abaixo do preço de junho de US$ 63,59 para uma reversão de médio prazo. O próximo teste seria a linha de tendência de alta de longo prazo, entre US$ 55 e US$ 60.

Estratégias de Negociação

Investidores conservadores esperariam que o preço registrasse um ponto inferior mais baixo, seguido por um movimento de retorno para retestar com sucesso a sustentação que se tornou resistência do ponto inferior quebrado, à medida que a psicologia do mercado muda.

Investidores moderados podem esperar que o movimento de retorno forneça uma entrada melhor, mas não necessariamente para uma prova de reversão.

Investidores agressivos podem entrar em uma posição curta depois de cair 1 por cento abaixo do ponto inferior de US$ 63,59, abaixo de US$ 63,00 por barril, para evitar uma armadilha; alternativamente, eles poderiam reduzir um salto para a média móvel de 100 no nível de US$ 68,50.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!