Soja: Cotações Seguem em Alta – Investing.com

Com menor excedente interno da safra 2017/18 e com baixa oferta de caminhões, grande parte dos sojicultores consultados pelo Cepea prefere guardar a oleaginosa em estoque para comercializar a partir de outubro, que sinaliza paridade de exportação mais atrativa apesar da colheita americana. Agentes colaboradores do Cepea relatam que a logística para entrega em setembro já está praticamente tomada, impedindo novas grandes negociações para entrega neste período. No geral, a demanda externa pelo grão brasileiro segue aquecida, cenário que tem mantido os prêmios de exportação do Brasil em alta. Adicionado à maior taxa de câmbio, os preços de seguem elevados. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) avançou 1,83% entre 10 e 17 de agosto, a R$ 90,79/saca de 60 kg nessa sexta-feira. No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 0,87%, a R$ 83,95/sc de 60 kg. A elevação nos preços domésticos se deve também a valorização do frente ao Real.

MILHO: COLHEITA AVANÇA, MAS RETRAÇÃO DE VENDEDORES MANTÉM PREÇOS EM ALTA

De acordo com pesquisas do Cepea, mesmo com o avanço da colheita, os preços do seguem em alta no Brasil. Esse cenário se deve à retração de vendedores, que têm expectativas de preços maiores nas próximas semanas, fundamentados nas incertezas sobre a produtividade em algumas regiões, especialmente do Paraná e do Centro-Oeste. Compradores consultados pelo Cepea, por sua vez, priorizam as aquisições de pequenos lotes para atender à demanda de curto prazo. No acumulado de agosto (até o dia 17), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa de milho – base Campinas (SP) subiu 5%.

MANDIOCA: OFERTA AUMENTA, MAS FICA ABAIXO DAS EXPECTATIVAS DE AGENTES

Os trabalhos de campo em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea foram retomados, devido ao clima favorável. Como boa parte dos produtores priorizou o plantio (como preparo de solo, semeio e até mesmo o replantio em algumas áreas mais afetadas pela estiagem), apesar de ter aumentado, a oferta de matéria-prima às indústrias ficou abaixo das expectativas. Entre 13 e 17 de agosto, o valor médio nominal a prazo para a tonelada de mandioca posta fecularia ficou em R$ 420,54 (R$ 0,7314 por grama de amido na balança hidrostática de 5 kg), recuo de 4,8% frente à média da semana anterior. Em relação ao mesmo período de 2017, a baixa é de 26%, em valores atualizados (deflacionamento pelo IGP-DI de julho/2018).

MELANCIA: SEMEIO TEM RITMO LENTO EM AGOSTO

O semeio de melancias em Teixeira de Freitas (BA) teve início no começo de agosto, segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea. As atividades devem ter ritmo lento, visto que a área plantada em agosto deve representar uma pequena parcela do total da safra 2018/19 – nesta temporada é prevista redução de área frente à safra anterior, pois os resultados da 2017/18 não foram animadores. Em relação à colheita na região, deve começar no final de outubro, com finalização em meados de abril de 2019. Quanto ao clima, tem sido favorável, porém, a previsão de chuvas em setembro preocupa melancicultores, já que no último ano o maior volume de precipitações neste período impediu o plantio em muitas lavouras.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!