Etanol: Preços dos Etanóis Anidro e Hidratado Seguiram em Queda em Julho em SP – Investing.com

Os preços dos etanóis anidro e hidratado seguiram em queda em julho em São Paulo, devido à menor demanda, por conta das férias escolares, e ao aumento da oferta por parte de algumas usinas, visto à necessidade de fazer caixa e de liberar tanques. Além disso, as negociações que envolveram o etanol diferido (vendido por usinas descredenciadas para o recolhimento do ICMS) reforçaram a baixa nos preços. Além disso, com as condições climáticas favoráveis à produção, a moagem da cana não foi interrompida nos últimos meses, elevando a quantidade de produto estocado pelas usinas, forçando algumas unidades a liberarem espaço nos tanques.

Nesse cenário, a média do Indicador CEPEA/ESALQ para o etanol hidratado das quatro semanas cheias de julho foi de R$ 1,4565/litro, forte queda de 9,18% na comparação com a média das semanas cheias de junho/18. No mesmo comparativo, a média do etanol anidro em julho, de R$ 1,6608/litro, foi 8,23% menor que a do mês anterior – considerando apenas o mercado spot para os dois etanóis.

Em São Paulo, o abastecimento com o biocombustível segue vantajoso pelo quarto mês consecutivo, reflexo das quedas dos preços nas unidades produtoras. Em julho, o preço médio mensal do biocombustível foi de R$ 2,571/litro e para a gasolina C, de R$ 4,258/litro nas bombas, uma relação de 60,4% ante os 63,8% de junho. A paridade também segue favorável para o etanol hidratado nas bombas de outros estados produtores, como GO (60,5%) e MT (57,2%), segundo dados da ANP.

A relação inferior a 70% para o biocombustível nos postos tem favorecido a venda do etanol hidratado na safra 18/19. As vendas das distribuidoras para os postos de SP somaram mais de 2,17 bilhões de litros de abril a junho, cerca de 317,3 milhões de litros a mais do que o vendido no mesmo período da safra anterior (1,85 bilhão), de acordo com dados da ANP.

NORDESTE – Em julho, não tiveram informações suficientes para a composição dos Indicadores mensais de etanol (hidratado e anidro) dos estados de Alagoas, Pernambuco e Paraíba, devido à falta de produto nacional para a comercialização nessas regiões.

O início da safra sucroalcooleira 18/19, segundo colaboradores do Cepea, está previsto para o final setembro e início de outubro na maior parte das unidades produtoras de Alagoas e Pernambuco. Na Paraíba, algumas usinas iniciaram a moagem da cana e comercialização de etanol no final de julho e início de agosto.

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES – No acumulado da safra 18/19, foram embarcados mais de 439 milhões de litros de etanol, com receita de US$ 243,9 milhões. Em julho, as exportações totais de etanol somaram 180,7 milhões de litros, volume 93% superior ao de junho/18 e 16% maior quando comparado a jul/17. A receita gerada somou US$ 91 milhões em jul/18, alta de 63% frente ao mês anterior. Em real, foram gerados mais de 348,4 milhões para o País. Os dados são da Secex.

Quanto à importação em julho, o volume de etanol dobrou frente a junho, somando 142,45 milhões de litros de etanol, com receita de US$ 58,75 milhões em jul/18. No acumulado da safra 18/19, foram importados pelo Brasil mais de 706,8 milhões de litros de etanol, principalmente dos Estados Unidos.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!