Maggi admite que recurso contra suspensão do glifosato segue no TRF-1 – Isto É

Ribeirão Preto, 24 – O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, admitiu nesta sexta-feira, 24, que o recurso contra a decisão liminar que proíbe o registro de produtos à base de glifosato no Brasil segue em análise no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília (DF). Ele se desculpou pode ter informado, ontem à tarde, que tinha sido cassada a tutela antecipada concedida pela juíza federal substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura, da 7ª Vara do Distrito Federal, para que a União suspenda, a partir de 3 de setembro, o registro de defensivos com o ingrediente ativo.

“Notícia Boa! Acaba de ser cassada a liminar que proibia o uso do glifosato no Brasil”, relatou o ministro em redes sociais, ontem, sem dar detalhes. Nesta sexta, o ministro relatou: “Ontem à tarde recebi e repassei a informação de que a liminar do glifosato teria sido cassada. Mais tarde, o secretário responsável me explicou que ainda estavam em despacho no TRF. Aguardei até bem mais tarde a confirmação; como não saiu, estarei aguardando a decisão. Me desculpem pelo acontecido”.

Conforme a decisão da juíza, a suspensão ocorre até que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conclua a reavaliação toxicológica do produto e outros defensivos. O prazo para a Anvisa é até 31 de dezembro, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu da decisão no TRF-1 sob orientação do Ministério da Agricultura. O ministro, que é empresário rural e um dos maiores produtores do País, afirmou várias vezes que sem o uso do glifosato não há mais safra e sugeriu a agricultores que descumprissem uma eventual proibição do uso do defensivo.

O post Maggi admite que recurso contra suspensão do glifosato segue no TRF-1 apareceu primeiro em ISTOÉ DINHEIRO.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!