Com acordo com FMI, esperamos não emitir dívida até 2020, diz ministro – Exame

O ministro argentino disse que a alta do dólar frente ao peso argentino gera preocupação e que o governo Macri trabalha para reverter a crise de confiança

Por Estadão Conteúdo

access_time 4 set 2018, 17h28

São Paulo – O ministro de Interior, Obras Públicas e Habitação da Argentina, Rogelio Frigerio, afirmou nesta terça-feira que a expectativa para a reunião entre representantes do governo e a equipe do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Washington é poder firmar um acordo complementar ao atual empréstimo emergencial de US$ 50 bilhões que dê ao país a possibilidade de “encerrar seu programa financeiro”.

“Isso é, de não haver a necessidade de, entre agora e 2020, sair a tomar dívida”, explicou a repórteres após uma reunião ministerial na Casa Rosada. Frigerio destacou que, se concretizada, essa seria uma notícia que o mercado “está esperando” e que servirá para sair do atual clima de incerteza.

Questionado sobre a alta do dólar, que se sustentou acima dos 39 pesos argentinos em diversos momentos da sessão de hoje, o economista admitiu que o movimento desperta preocupação, apontando que o gabinete do presidente Mauricio Macri está se “ocupando com ações concretas para ter êxito em levar certeza primeiro à população, que é o mais importante, e aos mercados”.

Ele reconheceu ainda que, na atual crise de confiança em que o governo nacional está afundado, os anúncios oficiais sobre medidas corretivas “não alcançam o mercado”, usando como exemplo a revisão do orçamento que Buenos Aires prevê levar ao equilíbrio fiscal primário em 2019. “Creio que hoje os investidores estão esperando que nós concretizemos essas coisas”, opinou.

Isso porque o aperto fiscal anunciado ontem pelo ministro da Fazenda, Nicolas Dujovne, altera o orçamento e, assim, tem de ser aprovado no Congresso. “Estamos trabalhando há vários meses em um entendimento para aprovar o orçamento, que é um orçamento difícil, porque implica uma redução de gastos importantes”, reconheceu Frigerio, acrescentando que terá uma reunião com “praticamente todos” os ministros de Fazenda e Economia das províncias argentinas. Os governos regionais têm papel importante na arregimentação de parlamentares.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!