Sim, o Bitcoin precisa do ETF – Portal do Bitcoin

Vou começar este artigo respondendo uma pergunta muito simples: O que é um ETF?

Em resumo, é uma ferramenta de investimento que permite aos investidores acessarem de diferentes cantos do mercado de títulos do Reino Unido a ações de tecnologia chinesa a títulos de alto rendimentos de mercados emergentes, moedas de ouro e muito mais a custos baixos, no conforto de uma conta tradicional de corretora de valores ou banco.

Desde o seu início há mais de duas décadas, os Exchange Traded Funds (ETFs) e outros produtos negociados em bolsa proliferaram além das expectativas. Esse desenvolvimento representa o mais recente episódio da ascensão da indexação e do investimento passivo nos últimos 40 anos.

Como resultado, o advento dos ETFs proporciona a qualquer pessoa com uma conta em banco ou corretora de valores pode escolher entre mais de 5.000 diferentes tipos de investimentos cobrindo quase todas as classes de ativos concebíveis, regiões geográficas, setores de mercado e estratégias de negociação da moda.

Esse crescimento afeta o mercado?

Os preços de mercado dos ativos subjacentes se tornam mais eficientes? Eles são mais voláteis? Como a liquidez do mercado é afetada? Está na hora de responder a estas perguntas para entender o porquê o ETF é tão relevante para o mundo do Bitcoin.

Primeiro, existem quase 5.000 produtos negociados em bolsa no mercado, e o crescimento do mercado de ETFs é de 24% ao ano desde 2003, segundo a Bloomberg. Adicionalmente, a estimativa é de que este mercado movimente quase 8 trilhões de dólares até 2020, segundo a Morningstar. Isto é coisa de gente grande. O Bitcoin ainda é um feto perto deste mercado.

Os investidores institucionais fundos de pensões, fundos de Hedge, bancos alocam cada vez mais recursos a ETFs. Um estudo recente da Greenwich Associates descobriu que dois terços dos investidores institucionais sediados nos EUA compram ETFs e hoje os ETFs respondem por quase um terço do volume de negociação de ações nos EUA 10 bilhões de dólares ao dia.

Qual é o tamanho deste impacto?

E aqui vou destacar apenas um dos agentes: os fundos de pensões. O total de ativos controlados no mundo é de US$ 131 trilhões. Isso mesmo, 131.000.000.000.000

Os fundos de pensões detêm US$ 45 trilhões. Vou repetir os zeros: 45.000.000.000.000. Apenas para dar uma ideia, o PIB brasileiro é de US$ 1.7 trilhões. A fonte é a pesquisa Global pension assets study 2018 do Think Ahead Institute da Wills Towers Watson. Veja a imagem a seguir.

Para o Bitcoin crescer, como já discuti em diversos artigos, ele precisa ser útil e precisa ter demanda. Todos os pontos que estou abordando no artigo de hoje são sobre a parte da demanda. Os fundos de pensões, por exemplo, jamais poderão investir em Bitcoins até que eles sejam aprovados pela SEC (ou outras agências reguladoras mundo afora). Portanto, se o ETF for aprovado, este mercado de US$ 45 trilhões poderá começar a pensar no Bitcoin.

Apesar de óbvio é preciso dizer que não são os US$ 45 trilhões que estarão disponíveis para compra de Bitcoins. Os fundos de pensões mantêm atualmente cerca de 2% em dinheiro vivo. Porém, vamos especular que destes 2%, talvez 0.1% possam entrar no mercado. Ainda sim estamos falando de US$ 45 Bilhões – sendo bem conservador. No momento em que escrevo este artigo o Market Cap do Bitcoin é de $114 Bilhões. Nada mal!

O dinheiro sempre regulou a história do mundo e sempre continuará regulando. Dos Egípcios aos Maias, dos antigos Romanos aos Estados Unidos moderno. Disto vem o ponto princial: consegue entender a quantidade de demanda que será gerada em um ativo de oferta limitada?

O preço definitivamente irá subir e, talvez pela primeira vez, eu vou engrossar o coro do grupo “To the moon”!

Quais são os efeitos imediatos do ETF?

Existem 3 efeitos que podem ser percebidos logo nos primeiros meses:

  • Aumentos de eficiência do mercado: os ETFs melhoram a liquidez do mercado, reduzindo spreads e divergências, mesmo em mercados descentralizados;
  • Preços: haverá mais demanda para o título no qual o ETF é vinculado e, como consequência imediata, o aumento de preço;
  • Custos: os custos gerais para negociar ativos que possuem ETFs geralmente diminuem, dado o maior acesso ao mercado por mais participantes.

Claro, ainda concordo com o Vitalik que mais do que o ETF, ainda é preciso fazer com que as criptomoedas sejam mais úteis para atividades quotidianas, como em seu Tweet de 29/07/2018.

Entretanto, acho que o ETF será mais um catalizador para que isto aconteça mais velozmente e por isso não é possível menosprezar o ETF já que sua vinda é benéfica por todos os motivos acima elencados.

Como conclusão, acredito que o mercado de criptomoedas não vai amadurecer se os investidores com dinheiro de verdade não tiverem confiança na infraestrutura e no sistema que estão usando. Além disso, para os mais radicais, não é possível destituir o sistema se você não tiver um pouco do sistema dentro de você.

O post Sim, o Bitcoin precisa do ETF apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!