John McAfee cria selo contra corrupção de exchanges de criptomoedas e ataca HitBTC – Portal do Bitcoin

O criador do antivírus que leva seu nome e embaixador do mundo as criptomoedas, John McAfee, lançou uma cruzada contra exchanges acusadas de corrupção. O objetivo no longo prazo é tornar o ecossistema melhor, mas no curto é um ataque frontal à HitBTC, uma das maiores operadoras do mundo.

O anúncio foi feito segunda-feira (10) ao lado do time brasileiro da Coinbene, uma corretora de origem chinesa, que possui um escritório no Brasil. A empresa, que é primeira a ingressar na aliança criada por McAfee, prometeu listar de graça todas criptomoedas que abandonarem a HitBTC.

Durante a coletiva de imprensa, que ocorreu a bordo do Blockchain Cruise (um seminário sobre criptoeconomia que ocorre em um cruzeiro), a equipe do magnata afirmou ter feito uma avaliação da exchange chinesa antes de aceitá-la como parceira. Um projeto já foi deslistado — o chamado Apolo, que teria arcado com um prejuízo de US$ 400 mil no processo.

Em seu discurso inicial, McAfee louvou as qualidades trazidas da inovação da blockchain. “Pela primeira vez, temos acesso à verdade, como uma janela para os fatos”, disse.

Dentro da questão transparência, ele levantou outro problema da HitBTC: “Quem é o dono? Onde está baseada? Não há nenhuma informação sobre eles e ainda assim, estão processando centenas de milhares de dólares”.

Para o empresário, caso ocorra algum problema não há regulação que vai ajudar a quem foi prejudicado. “O que é preciso é local no qual as pessoas possam consultar a segurança de colocar dinheiro em uma exchange”.  

Antes da abertura para perguntas, Raquel Vaz, a diretora de marketing da Coinbene Brasil, falou brevemente e convocou outras pessoas que tiveram problemas a ingressar na aliança.

Logo depois, McAfee respondeu uma pergunta do Portal do Bitcoin e deu um pouco mais de detalhes sobre o ‘selo’ anti-corrupção. “Basicamente, uma guarda-chuva para pessoas que pensam como nós. Ninguém paga nada, ninguém ganha nada”.

Problemas com a HitBTC

Em julho, McAfee lançou uma campanha contra a HitBTC, alegadamente por causa das taxas de saque que esta cobra sobre a criptomoeda de um projeto no qual o magnata investiu, o Docademic (MTC), que procura disponibilizar serviços de saúde gratuitos aos seus usuários.

De acordo com o pioneiro de cibersegurança, as taxas cobradas pela HitBTC fazem com que vidas se percam, e custam dinheiro a todos os usuários de criptomoedas. McAfee afirma ter enviado entre 11 a 12 cartas à corretora, e diz ter obtido apenas uma resposta. Assim, a única escolha era a via legal.

McAfee é conhecido pela sua atitude positiva quanto à principal criptomoeda, o Bitcoin. Ele afirma que o BTC vai valer US$1 milhão até 2020.

A HitBTC em si é também controversa. Ainda este ano a corretora impediu clientes Japoneses de utilizarem a sua plataforma, pois alega que tem de cumprir com regulações locais e diz pretender abrir uma subsidiária no país.

Uma simples pesquisa online mostra vários resultados de clientes a queixarem-se das práticas da HitBTC.

*A reportagem participa do Blockchain Cruise a convite da CoinBene

O post John McAfee cria selo contra corrupção de exchanges de criptomoedas e ataca HitBTC apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!