Boi: Preços da Arroba Seguem em Recuperação – Investing.com

Os preços do seguem em recuperação no mercado brasileiro. Na parcial de setembro (até o dia 12), o Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa acumula alta de 1,5%, fechando a R$ 149 nessa quarta-feira, 12. Segundo pesquisadores do Cepea, esse recente movimento de elevação nos valores traz otimismo ao setor pecuário, mas ainda é preciso se planejar para os médio e longo prazos. Na B3, no médio prazo, considerando-se os contratos Outubro/18, Novembro/18 e Dezembro/18, o boi gordo tem sido negociado na casa dos R$ 152, acima do físico atual. Quanto ao longo prazo, o contrato Agosto/19 é negociado por volta de R$ 162,00, ou seja, 12,5% acima da média do físico no mesmo mês de 2018, de R$ 144,81. Os vencimentos Setembro/19 e Outubro/19 são ajustados na casa dos R$ 159,00.

SUÍNOS: CUSTO SUPERA RECEITA EM MT E MG HÁ 6 MESES

Levantamento do Cepea mostra que os custos de produção da suinocultura independente em Minas Gerais e em Mato Grosso têm superado a receita obtida com a vendas dos animais desde março deste ano (tomando-se como base o COT – Custo Operacional Total, que considera o custo operacional efetivo mais os custos com depreciações e pró-labore). Segundo pesquisadores do Cepea, esse contexto – que é resultado das consecutivas quedas nos preços de venda dos animais e das altas de importantes insumos do setor, como e farelo de – tem levado produtores a migrarem de atividade. Conforme a equipe de Insumos Pecuários do Cepea, uma menor liquidez nas negociações já vem sendo observada, inclusive, no mercado de medicamentos para suínos.

MELÃO: MENOR OFERTA NA UE PODE FAVORECER EMBARQUES BRASILEIROS

As exportações de melão para a União Europeia, principal consumidora da fruta brasileira, devem ganhar ritmo ainda neste mês, visto que a safra do bloco se aproxima do fim e que a oferta local tende a diminuir neste período. Além disso, as temperaturas elevadas na Europa também podem favorecer o consumo de melão, principalmente na Península Ibérica. Até o momento, porém, a disponibilidade segue elevada no continente, sobretudo na Espanha – onde a colheita atrasou –, o que limitou os primeiros envios da temporada 2018/19. Em agosto, os embarques do melão brasileiro à União Europeia somaram apenas 3,8 mil toneladas, quantidade 61% menor que a exportada no mesmo período do ano passado. Em receita, o total foi de US$ 2,5 milhões, 66% inferior na mesma comparação. No mês passado, alguns envios da fruta foram direcionados à Rússia, o que pode indicar a abertura de um novo mercado para o melão brasileiro – vale ressaltar que os russos importam a maioria das frutas consumidas internamente. Assim, se a parceria se concretizar, as exportações brasileiras de melão podem aumentar ainda mais.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!