No 1º bloco do debate, Doria e Márcio França travam embate sobre precatórios – Isto É

O primeiro bloco do debate entre os candidatos ao governo do Estado de São Paulo foi marcado pelos embates entre João Dória (PSDB) e Márcio França (PSB), e entre Luiz Marinho (PT) e Paulo Skaf (MDB) – os quatro principais colocados nas pesquisas eleitorais. No primeiro bloco, os candidatos puderam escolher a quem direcionar suas perguntas.

O governador Márcio França se voltou a Doria, questionando se o tucano tinha ciência sobre a quantidade de precatórios devidos pelo Estado. E provocou: “Doria acelera, mas se não engatar, o carro não anda. Quanto São Paulo deve de precatórios? É importante responder. Tem que saber a dívida de São Paulo. Fale o número”. França prometeu ainda que, como governador, conseguirá pagar 40% das dívidas em precatórios.

Doria defendeu uma gestão eficiente no pagamento dos precatórios, sem prejuízo às partes envolvidas, e lembrou que o ex-governador Geraldo Alckmin, do seu partido, entregou as contas do Estado no azul. “Farei isso também, com boa gestão.” Doria ainda rebateu França: “São Paulo precisa de boa gestão. O que você (França) não faz. Inibe contratos com prefeitos do interior. Você falhou como governador. Suspendeu contratos porque eles não o apoiam. Quero falar sobre propostas.”

Por sua vez, Marinho direcionou sua pergunta para Skaf, ressaltando sua ligação ao governo de Michel Temes, de quem é colega de partido, e ao apoio a reformas impopulares, como a trabalhista. “O senhor é do partido do Temer, que deu o golpe, tirou direitos trabalhistas. É o homem do pato da Fiesp. Tem lado na disputa. Você e Doria apoiaram a reforma trabalhista. Você continua apoiando essa reforma?”, atacou Marinho.

Skaf, por sua vez, reiterou apoio às reformas, mas sem citar o nome de Temer. “Reformas estruturais e modernização das leis são necessárias. Trabalho remoto, por exemplo, era proibido. Também era proibido tirar férias dividido em três vezes. O mundo vive um novo momento”, rebateu.

Ainda no primeiro bloco, o candidato Marcelo Cândido (PDT) se voltou a Marinho e salientou que “as pessoas não estão satisfeitas com o PSDB e não apontam o PT como solução. Precisamos de novas ideias”, disse.

A candidata Lisete Arelaro (PSOL) manteve um debate com Rodrigo Tavares (PRTB), aliado do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Lisete disse que as mulheres estão mobilizadas contra Bolsonaro, o que foi questionado por Tavares.

O jornal “O Estado de S. Paulo” realiza neste domingo um debate com os candidatos das eleições 2018 ao governo do Estado de São Paulo. O evento é realizado em parceria com a TV Gazeta, Rádio Jovem Pan e Twitter.


Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!