Em debate, candidatos ao governo de SP pedem apoio para presidenciáveis – Isto É

Alguns candidatos ao governo de São Paulo aproveitaram as declarações finais durante o debate promovido pelo SBT, nesta quarta-feira, 19, para pedir votos para candidatos na disputa pelo Planalto.

Lisete Arelaro, do PSOL, aproveitou para fortalecer o nome de Guilherme Boulos, que disputa à Presidência. A candidata disse também que não pretende morar em palácio e que vai transformar a residência oficial em uma universidade.

Novamente em defesa do ex-presidente Lula, Luiz Marinho (PT) lembrou os feitos dos governos petistas e sua atuação como ministro, e pediu votos para Fernando Haddad, candidato do PT ao Planalto. Rodrigo Tavares, do PRTB, buscou associar sua imagem a Jair Bolsonaro, nome do PSL na disputa, e ao vice na chapa, General Mourão.

Na contramão, Paulo Skaf (MDB) novamente tentou se afastar de Michel Temer e de práticas tradicionais da política ao dizer que não aceitou coligações para “podermos montar o melhor governo que SP já viu”. Henrique Meirelles, nome do MDB ao Planalto, não foi sequer citado no debate. O tucano João Doria seguiu o mesmo caminho e retomou o tema segurança, ao prometer “polícia na rua e bandido na cadeia”, mas também sem reforçar o tucano Geraldo Alckmin. Márcio França (PSB), apagado no embate, pediu a chance a “coisa diferente” ao defender sua candidatura. Já Marcelo Candido (PDT) ignorou Ciro Gomes e citou o pai, que foi deputado estadual, durante suas considerações finais e disse que quer “devolver à população” o que o Estado deu a ele.

Contas negadas

O candidato Marcelo Candido foi confrontado com o fato de suas contas ao fim de seu mandato como prefeito de Suzano (SP) terem sido rejeitadas. Candido se defendeu ao acusar o legislativo de “uma oposição sistemática”. “As minhas contas foram rejeitadas pela Câmara por orientação do Tribunal de Contas nos pagamentos de precatórios, que fiz, mas questionando os valores. Eu negociei e baixei. Eu não me sinto contrário ao interesse público”, afirmou.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!