Na eleição de 2018, 35% dos candidatos não têm receita nem despesa – Isto É

Cerca de 35% dos 24.798 candidatos aptos a participar da eleição este ano não declararam qualquer movimentação financeira (receita e despesa) à Justiça Eleitoral no primeiro mês de campanha. Levantamento feito pelo Estadão/Broadcast aponta que 8.593 candidatos não apresentaram contas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – dos quais 2.694 são mulheres. O número chega a 9.017 se for considerado o total de candidatos que não tiveram receita, independentemente de haver despesa ou não.

Na avaliação de analistas, um dos fatores que explicam o grande número de campanhas sem fluxo de dinheiro é a redução dos gastos eleitorais. Com a proibição das doações empresariais determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), os candidatos têm recebido recursos de pessoas físicas e também podem ter as campanhas financiadas com o Fundo Eleitoral – R$ 1,7 bilhão para todos os 35 partidos – e com parte do Partidário – aproximadamente R$ 880 milhões.

O advogado e ex-ministro do TSE Henrique Neves pondera, no entanto, que é preciso avaliar que, quando a falta de dinheiro na campanha está aliada a outros indícios, como ausência de pedido de apoio a eleitores e de votos nas urnas, pode motivar suspeitas sobre uma “candidatura laranja” – ou seja, candidatos lançados para cumprir cotas partidárias, como a de mulheres. Em março, o Supremo decidiu que ao menos 30% da verba do Fundo Eleitoral tem de ser destinada para candidaturas femininas.

Para o ex-ministro do TSE, a ausência de fluxo de dinheiro também aponta uma dificuldade dos candidatos em conseguir doadores, mas destaca que a campanha “precisa ser feita de alguma forma”. Ele destaca que, se não há dinheiro para fazer um adesivo ou um cartaz, por exemplo, o candidato pode participar de reuniões ou mesmo “pedir votos para o vizinho”, afirmou.

‘Sola de sapato’

A contadora Julia Rosa da Cruz (PSDB) é uma dessas candidatas que ainda não registraram despesa nem receita na campanha. Ela participa pela primeira vez de uma eleição e tenta uma vaga como deputada federal por São Paulo. “A propaganda está sendo feita na sola do sapato, com apoio de conhecidos e amigos que conquistei nos meus 44 anos em São Paulo”, afirma.

A candidata também aposta na divulgação pelas redes sociais. O perfil de Julia no Facebook exibe seu santinho, com o seu número de candidata ao lado de dos candidatos de seu partido à Presidência, Geraldo Alckmin, e ao governo do Estado, João Doria. Apesar de estar sem receita declarada até o momento, a candidata afirma que vai receber crédito de R$ 20 mil do fundo especial de campanha, que ainda deve ser contabilizado junto ao TSE.

Opção

Para o administrador Almachio Rocha (PSL), no entanto, ser um candidato sem recurso é uma opção própria. Sua campanha para deputado distrital é feita basicamente na internet. Desempregado, ele disse que não pretende gastar nada na campanha. “Não tenho dinheiro de partido e não quero ter”, afirmou. Almachio também não está em busca de doações – ele diz que vai tentar se eleger mesmo sem gastar um real sequer. “Um dos meus propósitos é provar que não precisa de milhares e nem de milhões de reais para se eleger. Não sei se vai dar certo, mas estou tentando”, diz.

O partido de Almachio é o que mais tem candidatos sem fluxo de dinheiro na prestação de contas. Até a última segunda-feira, estavam nessa situação 651 candidatos da legenda, que tem o deputado federal Jair Bolsonaro concorrendo à Presidência da República.

A reportagem encontrou casos de candidatos que, mesmo tendo o registro aceito pela Justiça Eleitoral, não apresentaram os dados financeiros nem têm campanha divulgada. Um exemplo é Ariadne Alvarenga (PSL), candidata a deputada federal. Procurada pela reportagem, Ariadne não quis dar entrevista, mas disse que não sabia até o momento que sua candidatura havia sido aceita e, por isso, não começou sua campanha. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte Oficial: Isto É.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!