Frango: Com Preço em Alta, Competitividade a Substitutas Diminui – Investing.com

De acordo com pesquisadores do Cepea, as cotações da carne de frango estão elevadas no mercado interno, impulsionadas pelo aquecimento das demandas interna e externa. A valorização dessa proteína, inclusive, tem superado os aumentos observados nos preços de carnes substitutas, como a bovina e suína, cenário que tem reduzido a competitividade do frango. Sobre a procura externa, dados preliminares da Secex (que consideram os nove primeiros dias úteis de setembro) indicam que o volume diário de carne de frango in natura embarcada pelo Brasil supera em 26% o registrado em agosto. Caso esse ritmo se mantenha, o País pode fechar setembro apresentando bom desempenho nas exportações.

OVOS: OFERTA ELEVADA PRESSIONA COTAÇÕES NO MERCADO INTERNO

Os preços dos ovos brancos tipo extra e vermelhos estão em queda em setembro, devido ao grande volume de ovos disponível no mercado interno. Segundo agentes consultados pelo Cepea, a oferta da proteína começa a dar sinais de redução em algumas regiões, mas, na maioria delas, ainda há excesso de ovos. Até o final do mês, a expectativa é que esse cenário melhore, visto que as vendas costumam diminuir na segunda quinzena, devido ao menor poder aquisitivo da população. Vale ressaltar que o excedente interno também tem reduzido de forma gradativa o poder de compra do avicultor de postura frente aos principais insumos utilizados na atividade ( e farelo de ).

CITROS: MENOR RITMO DE COLHEITA E CONTROLE DA OFERTA SUSTENTAM PREÇOS

Com o menor ritmo de colheita nas roças, devido às chuvas, e o consequente controle da oferta de todas as variedades, os preços da laranja se sustentaram nesta semana, de acordo com levantamento do Cepea. Assim, a média da pera, na parcial desta semana (segunda a quinta-feira), é de R$ 31,79/cx de 40,8 kg, na árvore, aumento de 2,2% frente à anterior. Quanto à lima ácida tahiti, pesquisas do Cepea apontam que os valores dispararam novamente no início desta semana, por conta da interrupção da colheita, ultrapassando os R$ 100,00/cx de 27 kg, colhida. Com o passar dos dias e a retomada das atividades, porém, os valores recuaram, mas ainda estão elevados. Na parcial da semana, a média da tahiti é de R$ 88,02/cx de 27 kg, colhida, alta de 18,6% em relação à anterior. Assim como para a laranja, as precipitações devem favorecer o desenvolvimento das floradas de tahiti – a colheita está prevista para meados de novembro.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!