Inadimplência das famílias do estado do Rio tem menor nível desde 2015

Apesar de o nível de inadimplência das famílias do Rio de Janeiro ter caído ao menor nível dos últimos três anos e de o percentual de endividamento ter caído em agosto, cerca de 60% das famílias do estado afirmaram ainda ter alguma dívida.

Os dados foram divulgados hoje (20) pela Fecomércio RJ, com base em levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e apontam que houve queda nos níveis de endividamento e de inadimplência entre as famílias do Rio de Janeiro de julho para agosto deste ano.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) indica, por outro lado, que o nível de inadimplência em agosto alcançou o menor percentual desde 2015, com 23,9% do total das famílias. A menor taxa registrada anteriormente fora em março de 2015, alcançando 18,8%.

A Fecomércio constatou ainda que o percentual de 60,1% de endividamento entre as famílias entrevistadas com alguma dívida é o menor percentual desde junho de 2017, o que indica, segundo a CNC, “uma postura de precaução do consumidor em contrair novas dívidas”.

Na pesquisa, são considerados compromissos com cartão de crédito, cheque (especial e pré-datado), empréstimos (pessoais e consignados) e financiamentos (carnês, carro e imóvel).

Cai inadimplência

Sobre o nível de inadimplência, que em agosto alcançou 23,9% do total das famílias, a pesquisa da Fecomércio informa que, em julho, este percentual era de 24%, e em agosto do ano passado, de 30,8%.

“Ainda assim, o número de agosto representa cerca de 564 mil famílias com alguma dívida em atraso no cartão, cheque, empréstimos ou financiamentos”, constatou a pesquisa.

A menor taxa registrada anteriormente foi de 18,8% das famílias registrada em março de 2015. Os números de endividamento e inadimplência de agosto repetem os de junho deste ano.

Dívidas atrasadas

Em relação à quitação das contas em atraso, o número de famílias que afirmou não ter condições de pagar a dívida atrasada, do total de famílias entrevistadas, aumentou de 10% em julho para 11,1% em agosto. No entanto, em agosto do ano passado, esse percentual era bem maior: 16%.

De acordo com os dados da Fecomércio RJ, o tempo médio de atraso no pagamento das dívidas é de 59,5 dias. Para boa parte das famílias (41,3%), o tempo de atraso é superior a 90 dias. Para 28,7% os atrasos são de até 30 dias, e para 27,5%, entre 30 e 90 dias.

Já a perspectiva futura de comprometimento com as dívidas em agosto ficou igual ao mês anterior, com média de 7 meses, sendo que a maior parte dos entrevistados (32,5%) afirmou estar comprometida por mais de um ano à frente.

Cartão de crédito

Segundo o levantamento da Fecomércio RJ, em agosto o cartão de crédito continuou sendo a modalidade mais utilizada na contratação de dívidas no Rio de Janeiro, listado por 72,1% das famílias. O percentual, no entanto, caiu em relação ao mês de julho, quando 73,9% das famílias entrevistadas afirmaram ter dívidas no cartão – esta é a segunda queda seguida, desde junho.

Houve diminuição também em relação há um ano: em agosto do ano passado, este percentual era de 78%. Entre as principais dívidas listadas em agosto estão ainda os carnês (11,6%), financiamento de carro (10,7%), crédito pessoal (10,3), financiamento de imóvel (9,9%) cheque especial (7,7%) e crédito consignado (5,9%).

Edição: Davi Oliveira

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!