Semana Começa com Inversão na Tendência de Alta das Bolsas – Investing.com

Atividade econômica

No Brasil, o mercado estima uma alta no nível de preços e uma queda no PIB. O relatório Focus do Banco Central do Brasil, divulgado nesta manhã, estimou uma manutenção na tendência para os principais indicadores. A mediana das expectativas do mercado para o IPCA subiu de 4,09% para 4,28% no final de 2018; para o PIB, caiu de 1,36% para 1,35%. Em relação ao câmbio, a taxa para o fim do período subiu de R$3,83 para R$3,90. A taxa Selic continua em 6,50% ao ano.

Também hoje, a FGV divulgou o IPC-S, que registrou uma alta de 0,32%, 0,13 ponto percentual acima da última taxa divulgada. Cinco das oito classes de despesa tiveram um crescimento nesta semana, com destaque para os grupos: vestuário (0,05% para 0,64%), transportes (0,05% para 0,64%) e habitação (0,24% para 0,26%).

Nos Estados Unidos, o PMI de setembro mostrou uma desaceleração da atividade econômica. De acordo com a IHS Markit, o PMI Industrial subiu de 54,7 pontos para 55,6 pontos, contra expectativa de 55,0 pontos. Maiores taxas de produção, crescimento de novos pedidos e maior compra de insumos fundamentam a melhora da indústria no mês de setembro. No lado negativo, o PMI Serviços caiu de 54,8 pontos para 52,9 pontos, pior taxa de crescimento desde março. As firmas sofreram com pressões inflacionárias, com aumento das despesas e aumento dos serviços providos. Devido ao maior peso no setor de serviços, o PMI composto caiu de 54,7 pontos para 53,4 pontos.

Mercados acionários

Os mercados sinalizam uma inversão da tendência de alta vista na semana passada. O clima global é de cautela, e a possibilidade de uma escalada das disputas comerciais cria uma incerteza entre os agentes econômicos. Os negócios na Ásia tiveram liquidez reduzida em meio ao feriado na China. A sessão de negócios na Europa tem uma queda generalizada, com pressões negativas vindo do setor automotivo e das mineradoras (ambos fortemente expostos a uma disputa comercial). Já em Wall Street, os índices futuros sinalizam uma abertura em queda, mais expressiva no futuro.

No mercado de divisas, o continua a mostrar um enfraquecimento em relação aos seus principais pares, acumulando queda de 1% no índice para o dólar em setembro. O euro registra leve alta em relação ao dólar. O tem forte alta, seguindo a narrativa bullish da OPEP para os preços da commodity. Neste final de semana, o cartel se posicionou contra Donald Trump, que incentiva o aumento de produção para reduzir o preço internacional do petróleo. Enquanto isso, os EUA têm mantido sua produção em níveis recordes, com uma quantidade alta de sondas em operação:

Expectativas dos agentes

A semana tem uma série de eventos chave. Nos Estados Unidos, a reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla original) será o destaque internacional dos pregões na quarta-feira. Dados da inflação nos Estados Unidos e na Zona do Euro também devem chamar a atenção nesta semana, sobretudo o PCE (índice de preços favorito do Federal Reserve) na sexta-feira.

No cenário doméstico, as pesquisas eleitorais continuam a guiar as decisões dos investidores. A evolução crescente do candidato Haddad, somada a estagnação do candidato Bolsonaro, deve agir como um condutor para uma potencial correção no .

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!