Tarifa da Cepisa é mantida até assinatura de contrato de privatização

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu hoje (25) que as tarifas atuais da Companhia Energética do Piauí (Cepisa) serão mantidas até 45 dias após a assinatura de concessão. O reajuste de 2018 seria aplicado em 28 de setembro, mas, com a privatização da empresa no dia 26 de julho, a data base anual será contada a partir da assinatura do contrato.

No dia 10, a Aneel concedeu anuência prévia à venda da distribuidora, mas ainda não há uma definição de data para a assinatura do contrato com a Equatorial Energia, uma holding que controla a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), no Maranhão, e a Centrais Elétricas do Pará (Celpa), no Pará.

Segundo a agência, as novas tarifas da distribuidora deverão considerar os benefícios obtidos no certame, que prevê redução na tarifa em 8,52%. A Equatorial foi a única empresa a dar lance no leilão de privatização, pagando R$ 45.521,52 à Eletrobras e prometendo um aporte de cerca de R$ 720 milhões. Também ficou determinado o pagamento de R$ 95 milhões em bônus de outorga.

A Cepisa atende cerca de 1,3 milhão de unidades consumidoras no estado do Piauí. De acordo com a Aneel, a prorrogação das tarifas de 2017 será aplicada também à Companhia Energética de Rondônia, à Companhia de Eletricidade do Acre e à Boa Vista Energia (RR), leiloadas em 30 de agosto. Todas terão os novos contratos de concessão assinados ainda esse ano.

A venda das distribuidoras da Eletrobras foi aprovada em assembleia da Eletrobras realizada em fevereiro. A assembleia decidiu, ainda, assumir R$ 11,2 bilhões em dívidas das empresas.

Edição: Fernando Fraga

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!