Frango: Valorização do Vivo Favorece Relação de Troca por Insumos – Investing.com

Os preços do frango vivo subiram em setembro, influenciados pela menor oferta de animais nas granjas. Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário está atrelado à redução no alojamento, devido aos altos custos com ração e aos reflexos da greve dos caminhoneiros no final de maio. A recuperação nos valores do animal vivo neste mês, por sua vez, tem favorecido o poder de compra de produtores frente aos principais insumos da atividade ( e farelo de ). Dentre as regiões paulistas acompanhadas pelo Cepea, a da Grande São Paulo registra a maior valorização do animal vivo, de 5% no comparativo com agosto e de expressivos 27% em relação a setembro/17, com média de R$ 3,11/kg na parcial deste mês. O valor do farelo de soja também subiu em setembro, mas em menor intensidade que os do frango vivo. Na parcial do mês, a tonelada do derivado registra média de R$ 1.374,05 na região de Campinas (SP), alta de 2,5% em relação à de agosto. Já os preços do milho vêm recuando, pressionados pelo maior interesse de venda e pela menor demanda. Em Campinas, a saca de 60 quilos do cereal registra média de R$ 40,35 em setembro, queda de 2% frente à de agosto. Assim, o avicultor de corte da Grande São Paulo consegue comprar 4,7 quilos de milho ou 2,26 quilos de farelo de soja com a venda de um quilo de frango vivo neste mês, 7% e 2,4% a mais, respectivamente, que o adquirido em agosto com a mesma venda.

OVOS: OFERTA ELEVADA SEGUE PRESSIONANDO COTAÇÕES; CALOR PODE AGRAVAR CENÁRIO

A produção de ovos continua superando a demanda pela proteína, tanto no mercado interno quanto no internacional. Segundo colaboradores do Cepea, esse contexto tem levado avicultores de postura a ceder descontos para conseguir escoar o produto. No entanto, essa estratégia não tem sido suficiente para reduzir a disponibilidade de ovos no mercado doméstico e os preços seguem em queda. Esse cenário ainda pode ser agravado nas próximas semanas, visto que, com o início da primavera, as temperaturas tendem a aumentar, o que pode comprometer a vida útil dos ovos. Além disso, o calor costuma reduzir a produtividade das galinhas. Assim, o preço médio da caixa com 30 dúzias de ovos brancos tipo extra neste mês (até o dia 27) é de R$ 66,09 em Bastos (SP), 3,2% menor que o de agosto/18 e 19% inferior ao de setembro/17. Já para os ovos vermelhos negociados na mesma região, o preço médio na parcial de setembro é de R$ 72,74/cx, queda de 5,6% no comparativo mensal e de 19% no anual.

CITROS: BAIXA DISPONIBILIDADE NAS ROÇAS ELEVA PREÇO DA TAHITI

Os valores da lima ácida tahiti subiram com força em São Paulo em setembro, impulsionados pela baixa oferta nas roças – grande parte das frutas provenientes de novas floradas ainda está verde e não atingiu o calibre e a coloração demandados pelo setor in natura, conforme colaboradores do Cepea. Na parcial do mês (até o dia 27), o valor médio da fruta está 109,8% superior ao de agosto e 19,2% maior que o de setembro/17, em termos nominais. Já na parcial desta semana (de segunda a quinta-feira), a variedade registrou média de R$ 76,50/cx de 27 kg, colhida, queda de 12,4% frente à da semana passada, reflexo da retomada da colheita em algumas praças, após o período chuvoso, e da maior disponibilidade de frutas miúdas. No mercado de laranjas, o ritmo de vendas está menor em São Paulo, o que pode estar atrelado ao período de fim de mês e aos elevados preços da fruta nas roças. Para a variedade pera, a média desta semana é de R$ 32,18/cx de 40,8 kg, na árvore, alta de 1,1% frente à anterior.

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!