IBRX e Ibovespa: Entenda o que São e Como Funcionam Esses Índices – Investing.com

Pensar sobre o mercado financeiro remete inúmeras pessoas à Bolsa de Valores. Elas tendem a ter em mente o como primeira alternativa, mas existe também o IBrX, um importante indicador de desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade.

Não são poucos os investidores que desconhecem ou têm pouco conhecimento sobre os principais indicadores do mercado acionário (IBrX e Ibovespa). Muitos não sabem como funcionam, para que servem e quais são as diferenças entre eles.

Quer sanar suas dúvidas e eliminar de vez confusões referentes a esses termos? Confira o conteúdo a seguir e esclareça o “desconhecido”. Boa leitura!

O que é Ibovespa?

Você já deve ter escutado em algum momento que a Bolsa de Valores caiu ou determinadas ações subiram, não? Pois bem: tais referências dizem respeito ao Ibovespa, um índice que mede o desempenho das principais ações da Bolsa Brasileira.

Muitos confundem Bovespa com Ibovespa, o que é um grande equívoco. Na verdade, o Índice Ibovespa (Ibov) foi criado pela Bovespa a partir da necessidade de se ter uma visão mais precisa e realista do mercado.

Ou seja: na Bovespa, é possível negociar ativos de mais de 300 empresas, enquanto no Ibovespa essa quantidade é reduzida a pouco mais de 60 companhias, já que é preciso seguir critérios como:

  • assiduidade no pregão Ibovespa: são considerados os últimos 12 meses, sendo que o ativo deve ter participado de 95% dos pregões ocorridos nesse período;
  • volume de negociação: leva-se em consideração a necessidade de um volume financeiro significativo em relação ao ativo, com peso (em R$) igual ou maior do que 0,1% de tudo o que foi negociado na Bolsa de Valores nos últimos 12 meses (no mercado à vista);
  • representação no Índice de Negociabilidade (IN): as empresas que se encaixaram nos critérios relatados anteriormente passam a ser listadas segundo o índice de negociabilidade. Assim, farão parte do Ibovespa apenas os papéis que representam, em conjunto, 85% do somatório desses dois indicadores (número total de ações negociadas e volume financeiro).

É possível concluir que o Ibovespa é um índice formado por ações que têm maior liquidez. As empresas que participam são classificadas de acordo com o número de negócios que realizam e o volume financeiro dos ativos na Bovespa.

O principal objetivo do Índice Ibovespa é informar sobre o cenário e o desempenho do mercado acionário brasileiro. Os ativos que o compõe são revisados quadrimestralmente, podendo ser adicionadas ou retiradas ações — bem como alterado o peso de cada ativo no índice.

Como funciona?

De maneira bem simplista, podemos dizer que o Índice Bovespa reúne as ações que representam grande parte dos ativos negociados na Bolsa de Valores em um determinado período. Ele tem um número flutuante de empresas participantes.

Além disso, seus ativos são revistos a cada quatro meses. Há ações que entram e outras que saem — assim como acontece no Campeonato Brasileiro, no qual alguns times vão para a série A e outros são classificados na série B.

Fazem parte do Índice Bovespa entre 55 e 65 ações das cerca de 400 que são negociadas na Bolsa de Valores. Esse valor aproximado forma uma carteira teórica.

Mas você sabe o que é isso? Seria como se alguém adquirisse aquelas 55 a 65 ações em diferentes proporções. Se elas fossem somadas e convertidas em reais, equivaleriam aos pontos do Índice Bovespa.

Do que se trata o (IBrX)?

O IBrX também é conhecido como Índice Brasil. Trata-se de um indicador de desempenho que reflete o valor médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro.

De maneira simplista, o IBrX também é uma carteira teórica de ativos. Ou seja: ele analisa o desempenho médio das 50 (IBrX 50) ou 100 (IBrX 100) ações de maior negociabilidade no mercado.

Muitas pessoas acreditam que o IBrX 50 e o IBrX 100 são sinônimos, mas a diferença, apesar de sutil, é bastante significativa. Antes de explicar os pontos de divergência entre os dois, vejamos alguns critérios de uma ação IBrX:

  • assiduidade no pregão da Bovespa: é necessário que o ativo tenha sido negociado, nos últimos 12 meses, em 95% dos pregões da Bovespa;
  • representação no Índice de Negociabilidade (IN): as empresas que se encaixam no critério anterior passam a ser listadas segundo o Índice de Negociabilidade, levando-se em conta o número total de ações negociadas e o volume financeiro. No caso do IBrX, serão relacionados apenas os papéis que figuram nas 50 ou 100 posições (IBrX 50 ou IBrX 100).

Vale destacar que, assim com o ocorre no Índice Bovespa, o IBrX é revisado a cada quatro meses (o famoso rebalanceamento quadrimestral). Voltando à diferença entre IBrX 50 e IBrX 100, teremos:

  • a quantidade de ações é reduzida a pouco mais de 60 no Ibovespa e 50 ou 100 no IBrX;
  • o critério do Ibovespa de que cada ação represente 0,1% do volume negociado no período de 12 meses não é utilizado no IBrX.

Como funciona?

De maneira semelhante ao Índice Bovespa, o IBrX leva em consideração a liquidez, somada ao valor de mercado das empresas participantes como forma de definição do peso de cada uma delas para a formação do índice Brasil.

A grande diferença é que o IBrX tem maior seletividade de entrada das empresas, evitando que ativos sejam negociados com baixo valor de mercado. A seguir, veja algumas características dos dois índices do IBrX.

IBrX 50

É um indicador de desempenho médio das cotações dos 50 ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro. A principal característica é que ele sempre terá 50 ações em sua composição.

Além disso, é considerada a soma das ações em negociação, ou seja, entra apenas o valor das ações que estão em posse do controlador da empresa. Aquelas que não fazem parte estão excluídas da operação.

Para que integrem a carteira IBrX 50, as empresas devem atender aos seguintes critérios:

  • ser uma das 50 ações com maior índice de negociabilidade apurado nos 12 meses anteriores à reavaliação;
  • ter sido negociada em pelo menos 80% dos pregões ocorridos nos 12 meses anteriores à formação da carteira.

IBrX 100

Diferentemente da IBrX 50, o índice IBrX 100 inclui as 100 ações de maior representatividade e negociabilidade na Bolsa de Valores. Ele é calculado a partir de uma média ponderada da cotação dessa carteira.

Para integrar a carteira IBrX 100, as empresas devem atender aos seguintes critérios:

  • ser uma das 100 ações com maior índice de negociabilidade apurado nos 12 meses anteriores à reavaliação;
  • ter participado de pelo menos 70% dos pregões ocorridos nos 12 meses anteriores à formação da carteira.

Quais são as diferenças entre IBrX e Ibovespa?

Vamos diferenciar esses dois índices com um exemplo hipotético. Uma empresa teve um problema operacional que, como consequência, resultou na queda do preço de determinado produto ou serviço.

No caso do Índice Ibovespa, apesar dos ativos tenderem a uma queda nos preços de valor de mercado, a liquidez pode aumentar. Isso porque os investidores vão se desfazer dos papéis e, assim, a ação tem a chance de ganhar peso no índice.

Já no caso do IBrX, se o problema da empresa prejudicar seu valor de mercado e os investidores começarem a se desfazer dos papéis, mesmo com o aumento na liquidez, o peso da ação vai cair. Isso acontece porque o valor de mercado é um parâmetro considerado nesse índice.

Ambos os indicadores (IBRX e Ibovespa) são extremamente importantes no mercado acionário brasileiro. Os investidores mais experientes costumam acompanhar com muita atenção os dois índices, a fim de analisarem os insights para montar suas estratégias de investimentos.

Embora seja possível investir diretamente nesses índices, é necessário deixar bem claro que a função deles é servir como bússola ao investidor no seu processo de decisão, mostrando a performance do mercado e o desempenho das ações de maneira mais ampla.

Pode-se perceber que os índices IBrX e Ibovespa têm grande representatividade no mercado brasileiro. Cada um deles apresenta significativa importância dentro da conjuntura econômica do país.

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre o assunto? Que tal descobrir como realizar os melhores investimentos sofisticados? Até a próxima!

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!