NAFTA Anima Bolsas na Largada Da Semana. IPCA e Payroll no Foco da Agenda – Investing.com

Um alívio temporário se marca com os avanços das conversas entre EUA e Canadá sobre os termos do NAFTA.

Apesar de muitos acreditarem na ‘genialidade’ de Trump em tais movimentos de vai e volta a realidade é outra.

Como ocorreu com o México, muitos empresários americanos sofreram e sofrem muito com as sanções e tem gerado um alto nível de ruído entre os apoiadores do presidente americano, ainda na berlinda com a questão russa e agora com a indicação de Kavanaugh para a suprema corte.

Trump costuma considerar e muito a opinião de seus amigos e apoiadores, ao ponto de tentar restaurar as indústrias de siderurgia pesada e carvão nos EUA, por conta de promessas de campanha.

Num contexto de guerra comercial vigente, externalidade em economias centrais e demanda por emergentes ainda por se recuperar, uma notícia positiva tende a agitar os ativos positivamente, principalmente os de maior risco.

Ainda na semana que conta com indicadores do mercado de trabalho americano e o IPCA no Brasil, entre outros indicadores, as atenções locais se voltam à proximidade do primeiro turno das eleições e a polarização vigente.

CENÁRIO POLÍTICO
Os protestos no fim de semana foram grandes em todos os lados.

Notadamente, a união de diversas frentes contra Bolsonaro fez maior volume, mas ainda assim, o trabalho da esquerda para romper tal barreira não é fácil.

Contra o tempo, o PSL se movimenta tanto para o embate do segundo turno, quanto para um tempo de TV inédito para Bolsonaro, que sempre contou com movimentos espontâneos e focados nas redes sociais.

Para o “centro” resta observar. Alckmin entrou na estratégia ‘suicida’ na tentativa de se diferenciar de ambos os candidatos considerados extremos, porém não encontrou o discurso e dificilmente reconquistaria os votos que perdeu para o PSL.

Eis que se definha a fênix bicuda.

CENÁRIO DE MERCADO
A abertura na Europa é positiva e os futuros NY operam em alta, com os avanços das conversas entre EUA e Canadá.

Na Ásia, o fechamento foi positivo, também por avanços no NAFTA.

O opera em queda contra a maioria das divisas, enquanto os Treasuries operam positivos em todos os vértices.

Entre as commodities metálicas, queda, com destaque ao e ao ouro.

O abre em alta em NY e em Londres, com a oferta limitada pela sanção ao Irã, com a maior alta em 4 anos.

O índice de volatilidade abre em alta queda de 2,3%.

CÂMBIO
Dólar à vista : R$ 4,0504 / 0,96 %
Euro / Dólar : US$ 1,16 / 0,034%
Dólar / Yen : ¥ 113,96 / 0,229%
Libra / Dólar : US$ 1,30 / 0,100%
Dólar Fut. (1 m) : 4048,37 / 1,17 %

JUROS FUTUROS (DI)
DI – Julho 19: 7,59 % aa (0,66%)
DI – Janeiro 20: 8,32 % aa (0,60%)
DI – Janeiro 21: 9,58 % aa (1,27%)
DI – Janeiro 25: 11,78 % aa (1,46%)

BOLSAS DE VALORES
FECHAMENTO
: -0,82% / 79.342 pontos
: 0,07% / 26.458 pontos
: 0,05% / 8.046 pontos

: 0,52% / 24.246 pontos
: 0,26% / 27.789 pontos
: -0,57% / 6.172 pontos

ABERTURA
: 0,561% / 12315,44 pontos
: 0,265% / 5508,05 pontos
FTSE: 0,089% / 7516,91 pontos

Ibov. Fut.: -0,19% / 79361,00 pontos
S&P Fut.: 0,582% / 2936,00 pontos
Nasdaq Fut.: 0,725% / 7710,75 pontos

COMMODITIES
Índice Bloomberg: 0,03% / 85,19 ptos

Petróleo WTI: 0,19% / $73,39
:0,33% / $83,00

: -0,41% / $1.185,95
: 0,26% / $68,11

: -0,81% / $15,85
: 0,63% / $358,50
: 0,83% / $103,10
: -0,09% / $11,15

Fonte Oficial: Investing.com.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!